terça-feira, 31 de maio de 2016

Como a depressão afeta todo o organismo:

Estudo sugere que a depressão provoca alterações no corpo que podem aumentar o risco de cancro e doenças cardiovasculares. 

De acordo com os dados da Organização Mundial de Saúde, estima-se que cerca de 350 milhões de pessoas no mundo sofrem de depressão. Mais do que uma simples tristeza, a depressão é uma doença séria que precisa de tratamento.

Um grupo de investigadores da Universidade de Granada, em Espanha, sugere que este problema não é apenas psiquiátrico e que pode pôr todo o organismo em ‘cheque’.

Os cientistas analisaram 29 estudos anteriores, que envolveram 3.961 pessoas, e descobriram que os indivíduos com depressão têm índices de stress oxidativo mais altos no organismo.

O que significa que o corpo fica repleto de moléculas chamadas radicais livres, que envelhecem as células e servem de ‘combustível’ para problemas de saúde como cancro, doenças cardiovasculares e até Parkinson.

Além de reforçar a relação entre distúrbios mentais e problemas de saúde no resto do corpo, este estudo poderá abrir portas para o desenvolvimento de novos tipos de tratamentos, destaca a Revista Saúde.

Fonte: http://www.bancodasaude.com/noticias/como-a-depressao-afeta-todo-o-organismo

domingo, 29 de maio de 2016

Por que tudo nesta vida acaba?

Acho que você já se perguntou por que tudo nesta vida é precário. A cada dia é preciso renovar uma série de procedimentos: dormir, tomar banho, alimentar-se, renovar o desodorante vencido, a roupa suja… Tudo é precário, nada é duradouro, tudo deve ser repetido. A própria manutenção da vida depende do bater interminável do coração e do respirar contínuo dos pulmões. Todo o organismo repete sem cessar suas operações para a vida se manter.

Tudo é transitório; nada eterno. Toda criança se tornará um dia adulta e, depois, idosa. Toda flor que se abre logo estará murcha. Todo dia que nasce logo se esvai… E assim tudo passa, tudo é transitório.

Por que será? Qual a razão de nada ser duradouro? Compra-se uma camisa nova, e logo já está surrada; compra-se um carro novo, e logo ele estará bastante rodado e vencido por novos modelos…

Na verdade, Deus dispôs tudo de modo que nada fosse sem fim aqui nesta vida. Por amor e bondade. Qual seria o desígnio de Deus nisso?
A razão profunda dessa realidade é que Deus nos quer dizer que esta vida é apenas uma “passagem”, um aperfeiçoamento, em busca de uma vida duradoura, eterna, perene, muito melhor, onde a felicidade não se acaba e não diminui: o Céu!

Em cada flor que murcha e em cada homem que morre sinto Deus nos dizer: “Não se prendam a esta vida transitória. Preparem-se para aquela que é eterna, muito melhor, onde tudo será duradouro, e nada precisará ser renovado dia a dia. Não haverá mais choro e nem lágrimas”.

A vida está em nós, mas não é nossa. Quando vemos uma bela rosa murchar é como se ela estivesse nos dizendo que a beleza está nela, mas não lhe pertence. Quando vemos uma bela mulher envelhecer é como se dissesse: “a beleza está em mim, mas não me pertence”…

A efemeridade das coisas nos ensina que aquilo que não passa, que não se esvai, que não morre, é aquilo de bom que fazemos para nós mesmos e, principalmente, para os outros. Os talentos multiplicados no dia-a-dia, a perfeição da alma buscada na longa caminhada de uma vida de oração, de piedade, de bondade, essas são as coisas que não passam, que o vento do tempo não leva e que, finalmente, nos abrirão as portas da vida eterna e definitiva.

Aqueles que não acreditam na eternidade jamais se conformarão com a precariedade desta vida terrena, pois sempre sonharão com a construção do céu nesta terra. Isso é impossível. Só com os olhos no céu podemos viver bem na terra.

Do livro Entrai Pela Porta Estreita – Prof. Felipe Aquino – Fonte: Cléofas - via: http://www.sentimentosemfrases.com/por-que-tudo-nesta-vida-acaba/

NÃO DEIXE PARA AMANHÃ O QUE VOCÊ PODE DEIXAR PRA LÁ:

Muito já se disse e se escreveu sobre a necessidade de nos desapegarmos de tudo o que não faz mais sentido em nossas vidas e, mesmo assim, continuamos acumulando bagagens inúteis e que emperram o fluxo de nosso caminhar. Retemos dentro de nós mágoas, ressentimentos, utopias, promessas vazias, alimentando o que já se foi em vão. Temos, em vez disso, que aprender a jogar fora o que está obstruindo o nosso respirar, sem titubear.

Assim como os ambientes ficam intransitáveis, quando lotados de quinquilharias, nossos sentidos também não conseguem se renovar, se perdidos em meio a sentimentos negativos guardados dentro de nós. Por mais que seja difícil, é preciso deixar que as coisas vão embora e saiam de nós, para que possamos deixar nosso caminho livre para receber novidades que nos acrescentarão em todos os aspectos.

É preciso ter discernimento para saber o que merece ser mantido guardado conosco a sete chaves e o que deve ser deixado para trás, longe de nossas vidas, distante de nossa alma. Ficarmos remoendo, de forma passiva, o que fizemos ou não, o que fizeram conosco, o que dissemos ou deixamos de dizer, os amores que se perderam, o que não foi mas deveria, sem digerir tudo isso em favor de nosso ir em frente, apenas servirá como peso catalisador de tristeza sem fim. E gente triste não avança, não compartilha, não cresce nem encontra o novo, o recomeço.

Nossa felicidade também depende dos reveses que nos vitimam, para que se torne ainda mais especial quando se instala em nossas vidas. Todas as dificuldades por que passamos ajudam-nos a sorver os momentos felizes com mais intensidade e clareza, pois, tendo experimentado o gosto amargo da vida, seremos mais fortemente impelidos a buscar o sabor doce que os momentos certos e as pessoas amadas trazem consigo. Estaremos, então, prontos para agendarmos compromissos com tudo aquilo que nos ajudará a buscar a felicidade, desmarcando possíveis desencontros inúteis.

Gastamos muita energia à toa com gente que não nos ama, com coisas de que não precisamos, com sentimentos que só nos atrasam o enriquecimento pessoal. Em contrapartida, perdemos a chance de encontrar pessoas que nos amarão de verdade, de cultivar sentimentos positivos e edificantes, de contemplar a beleza do mundo ao nosso redor, enfim, deixamos escapar a felicidade que se encontra ao nosso dispor, todos os dias.
Não podemos deixar de nos importar com tudo e com todos, adotando uma postura fria e distante, para evitarmos o acúmulo de tranqueiras emocionais . Da mesma forma, não basta negar e enterrar o que de ruim nos acontece, sem o enfrentamento necessário daquilo tudo, para que não haja pendências. Devemos, sim, lidar com toda a nossa bagagem, corajosamente, libertando-nos de amarras vãs, de pesos inúteis, de lembranças doloridas, pois somente assim estaremos inteiramente prontos para receber o melhor que a vida nos reserva. E, acredite, tem muita coisa boa reservada para cada um de nós.

Escrito por Marcel Camargo – Via: http://www.sentimentosemfrases.com/nao-deixe-para-amanha-o-que-voce-pode-deixar-pra-la/

15 palavras que mudam de sentido após os 30 anos (ótima).

Depois dos 30 anos muita coisa muda, sobretudo os significados de algumas expressões que usamos no dia a dia. Aquilo que antes queria dizer uma coisa… agora tem outra conotação…

1 – TARDE

Antes: entre as 03:00h e 04:00h da madrugada.

Agora: qualquer hora depois das 23.00h da noite.

2 – FRIENDS

Antes: aquela serie de televisão sobre pessoas que pareciam tão tão tão velhas.

Agora: uma série sobre pessoas mais novas do que eu.

3 – PROTETOR SOLAR

Antes: Protetor de fator 10 passado só nas zonas mais sensíveis antes de chegar à praia.
Agora: Besuntar o corpo todo com fator 50 e repor várias vezes ao longo do dia de praia.

4 – ESTAR BÊBADO

Antes: beber diversas cervejas e bebidas destiladas.

Agora: beber dois copos de vinho branco com o estômago vazio.

5 – JOVENS

Antes: aqueles que estavam na escola secundária.

Agora: literalmente todas as pessoas com vinte e poucos anos.

6 – METABOLISMO

Antes: algo muito bom que permite comer e beber o que se quiser.

Agora: uma maldição que faz com que a pizza e as pipocas vão diretamente para as pernas, a barriga e o bumbum.

7 – REJEIÇÃO

Antes: Algo que me afetava completamente.

Agora: que venha o próximo/a.

8 – AZIA

Antes: Aquilo de que os seus pais se queixavam.

Agora: Ai meu deus, não aguento mais..!

9 – QUANDO EU TINHA A TUA IDADE

Antes: aquilo que se dizia ironicamente.

Agora: aquilo que se diz com total sinceridade e melancolia.

10 – APAGADO/MORTO

Antes: o excesso de bebidas alcoólicas que levavam à perda de memórias de certas partes da noite anterior.

Agora: estar cansado demais e ir dormir às 20:00h, ainda com a roupa do trabalho.

11 – CREME PARA RUGAS

Antes: aqueles produtos que a sua mãe comprava sem parar.

Agora: conversa que tem com as suas amigas quando toma café.

12 – OLHEIRAS

Antes: aquilo que ficava sob os olhos quando não dormia o suficiente.

Agora: aquilo com que acorda todos os dias.

13 – ACORDAR CEDO

Antes: acordar às 07:00h para ir para as aulas.

Agora: acordar às 6:30h para chegar cedo ao mercado e levar os melhores vegetais e peixe fresco.

14 – SHOW

Antes: curtir a noite toda.

Agora: eu só quero sentar e apreciar um pouco de boa música.

15 – DIVÓRCIO

Antes: aquilo que acontecia aos seus pais ou pais dos seus amigos.

Agora: aquilo que acontece com você e com os seus amigos

Artigo adaptado para o português-BR pela Conti outra. Fonte original Sapo Muststrazzera - via: http://www.sentimentosemfrases.com/15-palavras-que-mudam-de-sentido-apos-os-30-anos-otima/

Alguns Estudos demonstram que muitas pessoas tem dificuldades para dizer “não” porque se preocupam com a imagem que passam para os outros.

Alguns Estudos demonstram que muitas pessoas tem dificuldades para dizer “não” porque se preocupam com a imagem que passam para os outros e concordam com tudo e com todos para ter uma imagem aceitável: a da pessoa que é boazinha, generosa e atenciosa. Ser educado, gentil, solidário, companheiro, prestativo e amigo é muito bom, mas não pode sobrepor-se às próprias necessidades. É possível fazer coisas boas para as pessoas, mas sem cair no hábito do bonzinho excessivo.

Na infância, algumas frases ditas pelos pais, responsáveis ou professores guardam a ideia de que sempre deve-se agradar os outros para ser aceito, querido e amado e, que quando dizemos “não”, somos tomados pela culpa, sentimento que nos deixa chateados e deprimidos por considerarmos que agimos de forma errada e, por isso, prefere-se dizer “sim”, quando se queria dizer o contrário.

Com a idade, experiências de vida e compreensão, as pessoas vão aprendendo a lidar melhor com isto. Aprendem a expor seus pensamentos, recusam viver determinadas situações e dizem “não” sem nenhuma culpa. Dizer “não” quando é isto justamente que se quer fortalece a autoestima e nos dá segurança para dizer aquilo que realmente queremos, sem medo de desagradar. Alivia possível angústia de desagradar sermos francos o suficiente para dizermos aos outros aquilo que realmente sentimos nas circunstâncias.

Seja honesto e objetivo, não “floreie” para dizer o que quer. A escolha é sua, é mais saudável psiquicamente a coerência entre o sentir, pensar e dizer. O grande compromisso que temos na vida é com nós mesmos, por isso devemos cultivar a fidelidade aos princípios que norteiam nosso caminho.

Quem assume suas posições afirma sua independência e liberdade, grangeando o respeito e admiração dos outros. Como disse, manifestar opinião reforça sentimentos positivos de valor próprio e conforta.

Por isto, não diga “sim” quando quer dizer “não”. 

Fonte: Pergunte ao Psicanalista

sábado, 28 de maio de 2016

O QUE OS OUTROS VÃO PENSAR É PROBLEMA DELES!

Haverá sempre alguém tentando nos impedir, censurando-nos, discordando agressivamente de nossa jornada, porque ainda é difícil a muitos cuidar da própria vida e deixar a felicidade do outro em paz.

***

Ninguém, a não ser que se torne um eremita, vive sozinho. Fazemos parte da sociedade e estamos ligados às pessoas que convivem conosco. Isso quer dizer que as consequências de nossas ações não se restringem apenas a nós mesmos, pois atingem também as pessoas que, de uma ou de outra forma, fazem parte de nosso caminhar.

Não poderemos, portanto, agir visando tão somente aos nossos propósitos pessoais, não nos importando com ninguém mais, como se o nosso bem estar fosse a única meta a ser atingida. Caso machuquemos quem está ao nosso lado, a fim de obtermos aquilo que queremos, estaremos agindo de forma inconsequente e egoísta, o que deve ser evitado.

No entanto, é necessário que achemos um jeito de realizar os nossos sonhos e de vivermos conforme aquilo em que acreditamos, de maneira ética e digna, sem nos desviarmos disso tudo, ou jamais seremos felizes. Ainda mais se sufocarmos os nossos anseios, por medo da reprovação de quem discorda do nosso modo de pensar e de agir.

Ouvirmos e ponderarmos frente aos conselhos de quem nos ama de verdade será sempre necessário, pois então estaremos lidando com palavras vindas de gente que se importa e quer o nosso bem. Entretanto, dar ouvidos a quem não divide nada conosco, a não ser momentos superficiais e irrelevantes, acabará nos afastando do que nos move os sentidos, do que é essencial aqui dentro de nós.

Caso estejamos agindo de acordo com as verdades que norteiam os nossos sonhos de vida, para buscar o que queremos, junto a quem amamos, sem machucar ninguém pelo caminho, é preciso continuar. Haverá sempre alguém tentando nos impedir, censurando-nos, discordando agressivamente de nossa jornada, porque ainda é difícil a muitos cuidar da própria vida e deixar a felicidade do outro em paz.

Será muito difícil errarmos a pontaria de nossos ideais, caso estejamos caminhando ao ritmo harmonioso dos sonhos que não conseguimos deixar lá no travesseiro. Jamais poderemos sufocar a nossa essência, por medo do que vão pensar, do que vão dizer. Quem vive a julgar o outro sempre vai pensar e dizer o pior, pois não sabe agir de outra forma, não importa o que o outro faça ou diga – é só isso que ele sabe fazer.

Não poderemos agir sem pensar em ninguém mais, obviamente, como se só nossa vida fosse importante, mas isso não quer dizer, de forma alguma, que deveremos temer quem possa vir a nos difamar por discordâncias baseadas em juízos de valor. O preço a se pagar pelo sufocamento dos sonhos é nada mais, nada menos, do que o arrependimento e a infelicidade. Não seja infeliz, seja quem você é de verdade.

Fonte: escrito por Marcel Camargo no site: https://osegredo.com.br/2016/05/ingratidao-anda-de-maos-dadas-com-infelicidade/

A ingratidão anda de mãos dadas com a infelicidade.

“Ingratidão é uma forma de fraqueza. Jamais conheci homem de valor que fosse ingrato.” (Goethe)

Não importa se os dias estão corridos e céleres, se não temos mais tempo de nada, assoberbados que estamos com as atribulações que nos preenchem os pensamentos. Não importa se é quase impossível conseguirmos arranjar espaço em nossa agenda para conversar com os amigos, mesmo que seja mandando uma mensagem. Demonstrar gratidão e dizer “muito obrigado” sempre fará bem a todos os envolvidos. Sempre.

Da mesma forma que nos sentimos bem quando podemos ajudar as pessoas, demonstrar ao outro todo o apreço que sentimos, o quanto ele fez e faz a diferença em nossas vidas, agigantará as benesses daquela ação, trazendo contentamento a ambas as partes. Ninguém precisa ficar sabendo das ajudas que promovemos e obtemos, mas tanto a quem as oferta, quanto a quem as recebe, é importante manter a certeza da relevância daquela troca. O mundo precisa de bondade se espalhando.

Na verdade, a caridade e a ajuda ao próximo devem ser praticadas incondicionalmente, sem cobranças de quaisquer tipos, uma vez que estaremos nos sentindo bem sempre que nos dispusermos a sair de nós mesmos, para enxergar o outro com empatia e generosidade. Ninguém precisa saber do que estamos fazendo para que nos sintamos em paz e realizados. Trata-se de uma alegria que preencherá a nós mesmos e bastará por si mesma.

Além disso, estaremos sujeitos, com frequência, a nos depararmos com a ingratidão de uma forma muitas vezes cruel e injusta. Muitas pessoas vão distorcer o que fizemos ou dissemos com sinceridade e disposição, de maneira a fazer aquilo tudo parecer desprovido de valor. Outras vezes, seremos cobrados cada vez mais e, nos momentos em que não pudermos colaborar, tudo aquilo que já fizemos será esquecido, como se tivesse sido em vão.

O importante é mantermos a certeza de que aquilo que fizemos de bom jamais se apagará, principalmente dentro de nossos corações, a despeito de toda ingratidão que recebermos em troca. A realização de estarmos em paz e satisfeitos é o que permanece dentro de nós, tornando-nos mais felizes e completos. Já o coração de quem se recusa a ser grato se tornará cada vez mais frágil e carente.

Como diz o poeta, ninguém é uma ilha, ninguém vive somente por si só, pois as ações de cada ser humano se propagam e atingem os demais, seja de maneira positiva ou negativa. Sejamos, então, parte daquele grupo de pessoas que se dispõem a tornar a vida do próximo menos densa, acreditando no ser humano, apesar de tudo. Tornar alguém feliz, afinal, já é um grande passo em direção à nossa própria felicidade. E quem não quer ser feliz?

Fonte: escrito por Marcel Camargo no site: https://osegredo.com.br/2016/05/ingratidao-anda-de-maos-dadas-com-infelicidade/

Como vencer na vida.


SOBRE AS DEFINIÇÕES QUE NOS TORNAM ESCRAVOS DE NÓS MESMOS:

Você já parou para pensar que, de repente você vem usando frases que podem estar impedindo seu crescimento ou mesmo trazendo mais sofrimento para sua vida? É muito simples para entender, mas desafiador para colocar em prática. Os verbos “ser” e “estar” podem estar minando sua vida quando eles de certa forma te definem: você como ser humano, você com sua forma de relacionar, sua vida, tudo está intimamente ligado quando você usa essas duas palavras de forma equivocada.

Estamos mudando o tempo inteiro, a cada segundo, então como posso afirmar que sou algo? Quando definimos a nós mesmos, de determinada maneira, acabamos aprisionados e condicionados a atuar dessa forma. Em algumas ocasiões mais drásticas, essa definição acaba sendo o seu parâmetro para você mesma, não deixando que você seja ou haja de outra forma.

Muitas vezes, tratamos as situações da vida como algo definitivo, como se a alegria ou a tristeza fossem durar para sempre e desse modo passa a prevalecer a ideia da permanência da vida, que não existe, tudo finda, tudo acaba, tudo vai embora, até mesmo a vida que é tão “impermanente” quanto nós.

Sendo assim se você diz: Eu sou gorda, Eu sou feia, Eu sou magra, Eu sou estranha, Eu sou chata, Eu sou pobre, Eu sou mal amada, automaticamente você diz para a vida: é isso que eu sou! Não há o que fazer. E se a vida acredita, você também passa a acreditar e se acomoda em não querer mais, em não mudar seu jeito, em estar do jeito que você acredita que é. E eu te garanto, a única verdade sobre você “ser” é que, você é mutável. O tempo inteiro estão acontecendo coisas, dentro e fora de você, que te projetam para vida de forma diferente, e aí você pode acordar mal humorado(a) e de repente ter aquela sensação boa na boca do estômago que traz uma felicidade imediata e muda todo o resto do seu dia, e sabe porque isso acontece? Por que você não “É”, você simplesmente “Está”.

Até mesmo o sofrimento pode ser vivenciado de forma mais saudável quando você assume sua condição de estar. Nosso corpo tem a maior parte composto de água então porque não fluir? Porque se manter preso(a) a determinadas formas de viver, quando você pode experimentar estar de formas variadas.

Aquela frase tão pronunciada para o fim de qualquer situação: Vai passar, tudo passa. É assim que somos, nós passamos e enquanto passamos nós estamos. Estamos tristes, estamos felizes, estamos magras ou gordas, estamos feias ou bonitas. Nada disso define a sua forma de viver, ou define você como ser humano, porque nada é para sempre. Nem alegrias, nem tristezas.

Portanto, quando estiver sofrendo por aquele amor que passou pela sua vida e trouxe mais amargura que doçura e você começar a pronunciar: – Eu era tão feliz com ele! – Pensa bem, você estava tão feliz e o estar era verdadeiro porque aqueles momentos foram felizes, mas agora passou e você está em uma fase de dor, que também vai passar e um dia virá sol novamente para o seu jardim.


Comece a mudar sua forma de se colocar diante da vida, não se aprisione por condicionamentos que você mesma estabeleceu, entenda que a finitude de tudo serve para fazer a sua vida andar e não para estacionar, sair da sua zona de conforto, estabelecer metas, priorizar sonhos, tudo isso faz parte de um planejamento de vida que pode ou não dar certo, e que pode ou não sofrer alterações no percurso, mas você nunca saberá como seria se deixar a definição de, ser alguém assim ou assado, tomar o rumo da sua história.

A partir de hoje seja uma obra inacabada, comece e recomece quantas vezes for preciso, esteja mudando, seja de corte de cabelo, de humor, de amor, de temperatura ou de cidade, se você não está feliz, mude. Se está feliz permaneça até que deseje mudar. Assim é a leveza da vida, e já dizia Clarice Lispector: “Decifra-me, mas não conclua. Posso te surpreender. ” É assim que estamos, o tempo inteiro esperando para surpreender.

Fonte: Escrito por - Carolina Daimond em https://osegredo.com.br/2016/05/sobre-as-definicoes-que-nos-tornam-escravos-de-nos-mesmos/

sexta-feira, 27 de maio de 2016

7 Sinais de que Você está Com a Pessoa Errada.

Eu lembro que me disseram que se eu estivesse esperando o casamento perfeito, eu nunca iria encontrá-lo. Não existe o “perfeito”. Eu não acreditava, e ignorei o comentário. Alguns anos mais tarde, me casei com alguém com quem eu estava em constante tumulto. Nossa relação sempre foi rochosa, e ainda insistimos em fazê-la dar certo. Tentamos forçar um relacionamento instável a se tornar perfeito. Logo percebemos que tínhamos cometido um erro enorme. Muitas vezes, o que começa mal termina mal.

No meu segundo casamento, meu marido e eu entendemos que a perfeição não existe. Temos nossas diferenças. Temos divergências. Mas o que torna um casamento perfeito são o amor e respeito que temos um pelo outro e a linha aberta de comunicação entre nós.

Forçar uma relação a dar certo, acreditando que ela acabará se tornando perfeita, é um equívoco. É raro um relacionamento instável melhorar depois do casamento. Às vezes, se o casamento é um erro, ou você escolhe permanecer infeliz no casamento, por medo do que outros possam dizer, ou o divórcio se acerca.

Aqui estão sete sinais que você está com a pessoa errada:

1. Brigas constantes

Vocês nunca concordam em nada. Vocês brigam por causa dos amigos, a falta de tempo juntos, o dinheiro, o ciúme – praticamente qualquer coisa. Por mais que você tente, nada que você faz é satisfatório.

2. Incerteza sobre seu amor

Você gosta muito do seu parceiro, mas você não tem certeza se o ama. Você vê essa pessoa como um confidente, uma pessoa com quem você pode sempre contar; no entanto, você não tem certeza de ver essa pessoa como uma parte permanente de seu futuro.

3. Instabilidade

Seu parceiro pula de emprego em emprego, usa mal o dinheiro, odeia trabalhar (mas gosta de festa) e coloca os amigos antes do relacionamento. As prioridades não estão em ordem.

4. Falta de apoio e respeito

Quando o seu parceiro acha suas metas irreais ou ridículas e zomba de você, ele ou ela não valoriza você como uma pessoa.

5. Mentiras

É uma bandeira vermelha se o seu parceiro sente a necessidade de mentir, e você sabe que ele ou ela está mentindo. Embora possamos perdoar e esquecer as mentiras insignificantes, entrar em um casamento com esse tipo de fundação é arriscado.

6. Diferentes sonhos

Vamos dizer que você quer se casar e começar uma família imediatamente. Seu parceiro quer esperar um pouco antes de ter filhos (ou não quer ter filhos). Você quer se casar e mudar, mas o seu parceiro quer viver juntos antes e permanecer onde está. Quando você tem um conjunto de sonhos e seu parceiro tem outro, e vocês não conseguem encontrar um meio-termo, as chances são de que você e seu parceiro não sejam a pessoa certa um para o outro.

7. Conveniência

Não é saudável ficar com seu parceiro porque você está confortável com ele ou ela e detesta a ideia de começar de novo. O casamento é feito de amor, compromisso e apoio – e não de conveniência.

Você vai saber que está com a pessoa certa, quando a relação é baseada em amor verdadeiro e respeito, e você sinceramente quer passar o resto de sua vida com o seu parceiro.

Fonte: http://www.sentimentosemfrases.com/7-sinais-de-que-voce-esta-com-a-pessoa-errada/

DEVEMOS DAR IMPORTÂNCIA A QUEM NOS ACRESCENTA.

Chegou um momento em minha vida em que comecei a praticar “economia de pessoas”.Incluo no meu dia a dia todo aquele que dá riqueza aos meus dias, que valoriza meus sonhos e ganhos no meu coração.

“Devemos dar importância a quem nos acrescenta”. É possível que essa expressão soe um pouco drástica para você. Para isso, e em primeiro lugar, deveríamos definir o que significa o conceito de contribuição pessoal.

Contribuem para o nosso crescimento todos aqueles que são sinceros em seus atos, vozes e vontades. As relações humanas, longe de serem um intercâmbio na base de “você me dá eu lhe dou”, é uma coisa que vai além de todo bem material.

Estamos falando de emoções, e em especial de emoções positivas que favoreçam nosso crescimento pessoal com esse intercâmbio de experiências e pequenos momentos que elevam universos inteiros.

Vivemos em uma sociedade complexa carregada muitas vezes de interesses pessoais e individualidades. O dia a dia está regido frequentemente pela competitividade, e mesmo pela ânsia de posse.

Há quem anseie controlar o seu companheiro por medo de perdê-lo, pais que superprotegem seus filhos, amigos que dominam amigos por medo da solidão, por temor de perder um apoio incondicional e cotidiano.

Em muitas das nossas relações interpessoais pesa um sentimento de egoísmo do qual somos conscientes e que entretanto, suportarmos.

O que podemos fazer frente a essas situações? Qual é a forma mais efetiva de agir?

APRENDER A CONSTRUIR RELAÇÕES POSITIVAS

Temos clareza de que não se trata somente de nos afastarmos de todos aqueles “que não nos acrescentam nada”. A vida real não é como nas redes sociais, onde existe a opção de “eliminar amigos”.

É bem possível que algum familiar seu, longe de enriquecer sua vida, a preencha de mal-estar. Ou que você tenha um colega de trabalho meio negativo, derrotista e crítico. Não podemos apagá-los do nosso dia a dia.

Trata-se, simplesmente, de não lhes dar a importância que merecem. Evitar que eles afetem seus atos ou suas palavras, sempre e quando não cruzarem o limite de sua integridade emocional ou psíquica.

Agora veja, frente a esse tipo de personalidades onde toxicidade não sai da zona crítica,o melhor é não dar poder a eles: nem na sua vida, nem em seus pensamentos. Marque limites. Porque ao permitir que o afetem, você acumulará um estresse físico e emocional muito perigoso.

Apesar de que em muitas ocasiões não é possível controlar quem entra e quem sai das nossas vidas, temos a capacidade e a responsabilidade de decidir quem se mantém no nosso coração.

A chave desta permissividade, desta forma de conseguir que se importar com quem nos acrescenta, é construir relações positivas.

Explicamos quais são os pilares básicos:

1. CONSTRUA APEGOS SAUDÁVEIS

Em nosso espaço falamos com muita frequência sobre a importância de “evitar apegos“.Bem, a essência está em saber diferenciar os apegos que nos provocam sofrimento (aqueles nos aferram a determinadas necessidades), dos apegos saudáveis, onde se constroem os vínculos de crescimento.

– Devemos favorecer apegos apoiados na confiança e não na ansiedade e no medo de sermos abandonados ou traídos. É vital que exista uma harmonia apoiada na maturidade e no respeito mútuo.

2. SABER SATISFAZER AS NECESSIDADES BÁSICAS

Negar que todos temos necessidades é colocar uma venda em nos olhos. Para que alguém nos importe de verdade, deve existir um adequado intercâmbio de ganhos pessoais.

– Um respeito mútuo e a segurança de que não vamos ser julgados ou rejeitados ao expressar nossos pensamentos.

– Amostras de afeto cotidiano: é essa sensação de cumplicidade que desfrutamos com nossas amizades, o carinho altruísta dos nossos companheiros… É oferecer afeto de forma livre.

Tudo isso são, sem dúvida, as raízes que enriquecem toda relação positiva.

3. PODER ENFRENTAR DETERMINADOS PROBLEMAS

Em ocasiões, quando se tem um problema, alguém próximo de você, em vez de contribuir com estratégias, ou simplesmente colocar-se no seu lugar para compreendê-lo, o recrimina por determinadas coisas.

São essas pessoas que, longe de ajudar, nos afundam mais ainda. Tente manter distância nestes casos, e escolha bem quem se aproxima de você nesses momentos.

As relações positivas têm como essência o dispor de uma harmonia interna onde os problemas, longe de ser obstáculos, são oportunidades pessoais de oferecer ajuda, aprender e fortalecer ainda mais o vínculo.

4. AS RELAÇÕES POSITIVAS ADMITEM A EXISTÊNCIA DE ERROS

Se alguém do seu contexto mais próximo não aceita o fato de que tenha cometido certos erros, não será uma relação saudável, nem emocionalmente segura.

Enfrente sempre o exagero, as relações onde não cabem erros, onde não se concede a oportunidade de ser melhor.

Todos nós nos equivocamos, erramos, assumimos faltas e avançamos para crescer pessoalmente.

Todos aqueles que gostam de você como você é, com seus acertos, erros, manias e grandezas, são pessoas que contribuem com luz a sua vida. Não as perca, agarre-se com força à cauda de seus cometas…

Fonte: A mente é maravilhosa - via: http://www.sentimentosemfrases.com/devemos-dar-importancia-a-quem-nos-acrescenta/

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Gentileza é a gente deixar o outro ser de carne e osso.

Gentileza gera gentileza.
Pois é, mas acho que ser gentil não é ser bem educado, ser gentil é ser bem humano.

Não é gentil quem age de mal grado com um sorriso no rosto, quem demonstra curiosidade por uma história enorme narrada por um amigo bocejando por dentro, quem responde uma mensagem na madrugada só por educação. Gentileza não é só tratar as pessoas com sorrisos e ‘sins’ e evitar conflitos e evitar desacordos. E esconder verdades quando estas forem duras de dizer.

Gentileza é mostrar verdades com jeitinho, é dizer não, é mostrar falta de interesse, é fazer cara de cansaço e desanimo, é pedir licença e mostrar as cartas com delicadeza, é pedir pra sair. E tratar com cuidado a delicadeza do outro. A maior gentileza que alguém pode oferecer é a transparência. É a humildade de dizer a verdade. Ser gentil é perder o profissionalismo quando preciso e deixar transparecer o corpo e a mente cansados e pedir a gentileza dos outros para te dar espaço hoje para ser de carne e osso.

Gentileza é a gente deixar o outro ser de carne e osso. Gentileza é calor humano. É uma alma esquentando a outra através do olhar. Sorrisos artificiais, comentários ensaiados, frases decoradas, preocupações encenadas não aliviam nada, não são gentis. A gentileza pode estar num olhar cansado, num afastamento na falta de sentimento, numa mão que não se deu, num passo atrás, numa ausência. A gentileza pode ser uma conversa curta, uma coragem de dizer não, a coragem de tocar em assuntos delicados.

Ser gentil é tocar em assuntos delicados com delicadeza, ser gentil é machucar avisando que vai doer um pouquinho, é destruir sentimentos, mas de preferência com um tiro só, certeiro, é desligar o aparelho de palavra doces e educadas que mantém vivo o amor no coração do outro. Ser gentil é matar. É deixar a dor do outro doer em paz. E já não querer ajudar a cicatrizar com preocupações robóticas que poderiam gerar suspiros falsos de vida. É desejar o bem e não mais voltar se é isso que se deseja por dentro. Ser gentil é conversar, é falar o que se pensa, o que se passa, do começo ao fim, e acima de tudo, ser gentil é saber ouvir.

Ser gentil é ceder um pouco de tempo, um pouco de ouvido, um pouco de palavras, um pouco de ânimo. Ser gentil é sinalizar. É deixar-se conhecer. Gentileza é mostrar os terrenos para que o outro possa escolher se quer pisar.
Por Clara Baccarin

Fonte: A soma de todos os afetos - via: http://www.sentimentosemfrases.com/gentileza-e-a-gente-deixar-o-outro-ser-de-carne-e-osso/

terça-feira, 24 de maio de 2016

A diferença entre gostar, se apaixonar e amar.

GOSTAR É MUITO RELATIVO.

Gostar de alguém é sentir um frio na barriga, mas manter os pés no chão. Gostar é querer estar junto, mas sem descartar outras oportunidades. Gostar é beijar, mas de vez em quando, abrir os olhos discretamente para conferir o ambiente. Gostar é abraçar forte, mas não por muito tempo. Gostar é se dedicar, mas com limites impostos. Gostar é querer ter, mas não ser seu. Gostar é querer dormir junto, mas acordar cedo no dia seguinte para outros compromissos.

Gostar é sair, mas voltar para o trabalho pontualmente. Gostar é admirar as qualidades, mas ainda reparar nos poucos ou pequenos defeitos. Gostar é andar de mãos dadas, mas não sentir segurança. Gostar é dividir o chocolate preferido, mas ainda assim, ficar com a maior parte.

Gostar é passar o domingo juntos, mas fazer planos mirabolantes na segunda-feira. Gostar é tirar do sério, mas com finalidade de testar o ponto fraco do outro. Gostar é frequentar a sua casa, mas com o status de estarem se conhecendo. Gostar é fazer planos, mas não ultrapassar mais de três dias. Gostar é viajar, mas sentir saudade do que ainda não acabou.

Gostar de alguém é como ter o jogo ganho, mas faltar uma carta. O verbo gostar traz consigo muitas incertezas e, ao mesmo tempo, muitas descobertas. Gostar de alguém é um risco do desconhecido.

AO SE APAIXONAR, VOCÊ ENLOUQUECE.

Depois de conhecer um pouco esse alguém, as atitudes e as vontades acabam ficando completamente incontroláveis. A paixão é um sentimento que descontrola qualquer racionalidade. As emoções explícitas são a principal marca dessa sensação.

Se apaixonar por alguém é sinônimo de entrega absoluta. Os erros se tornam acertos, o longe se torna perto, o tarde se torna cedo, a noite se torna dia, a pobreza se torna riqueza, o frio se torna calor, o ruim se torna bom, a fome se torna saudade, o sono se torna pensamentos.

Se apaixonar por alguém é se perder, ou se encontrar por alguém.

Se apaixonar é sentir o sangue correr nas veias e sentir arrepios com simples toques. Se apaixonar é descobrir qualquer tipo de alegria na dor, é expressar através do olhar o que as palavras não são capazes de traduzir. Se apaixonar é perder prazos, horários e tarefas importantes. Se apaixonar é se doar, é correr contra o tempo, é se permitir e sem restrições, deixar transparecer o melhor que você possa ser.

Se apaixonar é tirar a roupa sem pensar duas vezes. Se apaixonar é curtir todos os momentos, e em cada brecha, encontrar uma chance para satisfazer os desejos. Se apaixonar é agir por impulso e depois arcar com as consequências, boas ou ruins. Se apaixonar é sentir um tesão incontrolável, é deixar a vontade carnal sobressair ao seu juízo. Se apaixonar é suar, tremer, gritar, gemer, arranhar, morder. 

Se apaixonar é ficar cego. E só depois de incendiar todas as labaredas, tentar se acalmar e fazer de tudo para manter todas as chamas acesas.

AMAR ALGUÉM É TER TODAS AS CERTEZAS DE UMA SÓ VEZ.

Amar alguém é viver o presente, absorver o melhor do passado e planejar o futuro. Amar alguém é transformar os sonhos em realidade. Amar alguém é cuidar, zelar e proteger. Amar alguém é não ter dúvidas. Amar alguém é transformar uma briga em um ensinamento. Amar alguém é criar laços, ter filhos, envelhecer lado a lado. Amar alguém é resistir a todas as tentações, desavenças, crises, ciúmes, egoísmo. Amar alguém é surpreender, é presentear. Amar alguém é deixar claro o quanto essa pessoa é essencial, é dizer o quanto tudo mudou desde que ela se fez notável, é não ter vergonha de demonstrar qualquer afeto.

Amar alguém é se libertar, compartilhar e somar. Amar alguém é oferecermos toda a nossa bagagem de experiências, para conhecer e compreender o outro. Amar alguém é fazer essa pessoa feliz, proporcionar noites de sono tranquilas, é suprir todas as necessidades. Amar alguém é estender as mãos, apoiar, contrariar, mas nunca abandonar.

Amar alguém é trabalhar a paciência. É ressaltar a persistência e provar toda a sua determinação. Amar alguém não é um sacrifício, é sentir-se leve. Amar alguém não é se prender, é ter muitas opções e ainda assim, escolher ficar.

Amar alguém é abrir mão do seu amor. Amar alguém, às vezes, pode ser a sua pior dor. Amar alguém é uma ferida que nunca vai cicatrizar ou deixar de existir. Amar alguém é carregar consigo a pessoa, por onde quer que você esteja. Amar alguém é, em alguns casos, uma renúncia. Amar alguém é querer esquecer, e não conseguir. Amar alguém é decisão do seu coração, e não uma opção indicada pelo seu dedo. Amar alguém não é responsabilidade do cupido, é a sentença que precisa ser cumprida. Amar alguém é confiar, transmitir segurança e não medir esforços.

Amar alguém é deixar a pessoa partir, e ainda assim, fazer de tudo para ela voltar. Amar alguém é sofrer calado ao ver que esse amor, não é mais seu. Amar alguém é ser repetitivo, tanto nas lágrimas que insistem em escorrer, quanto nos assuntos recorrentes. Amar alguém é perdoar e ceder.

Amar é precisar desistir, é perder todas as forças, mas continuar insistindo.

Em todos os casos mencionados acima, eu não prometo um final feliz. Afinal, os sentimentos são como o mar: seduzem e depois podem afogar. De qualquer forma, a regra é clara: o que me oferecerem, eu ofereço três vezes mais.

Por garantia de qualidade, a satisfação comprovada vai te fazer voltar mais vezes.

E você vai casar comigo, sem mais.

Fonte: http://www.sentimentosemfrases.com/a-diferenca-entre-gostar-se-apaixonar-e-amar/

Tá chateado por quê? Quem criou expectativas foi você!

Um dos caminhos mais eficazes para alcançar a frustração certamente se chama expectativa. Esperar que o novo trabalho seja o melhor do mundo, todos os amigos se lembrem de nosso aniversário, a família nos aplauda e esteja presente em cada momento e, a pior de todas, a pessoa com quem você se relaciona seja qualquer coisa que não ela mesma… Tanta esperança é um passe livre para uma conhecida e complicada fase de frustração, inconformismo e sofrimento pós-decepção.

Especialmente quando o assunto é ser humano, esse complexo de mistérios, contradições e singularidades, o bom mesmo é fazer nossa parte e concorrer para que as coisas saiam o melhor possível dentro do razoável. Até porque, para ser bem honesta, se já é difícil domar nossos cabelos revoltos pela manhã, que dirá controlar a vida e as ações de um ser humano cujas convicções, valores e criação nada têm em comum com os nossos.

Cada um de nós se amolda de um jeito diferente ao mundo. Alguns são mais flexíveis, outros, otimistas. Há aqueles que adoram um drama, enquanto outros são durões. Há quem queira viver uma vida pacata e bucólica, enquanto outros perseguem poder e dinheiro acima de qualquer coisa. As expectativas são fruto do que se tem como verdade individual. A não ser que você esteja jogando The Sims ou brincando de Barbie, é maluquice achar que todos se encaixarão direitinho no que espera que façam.

O mais louco nisso tudo é que geralmente o que projetamos no outro são carências ou omissões de nossa própria vida. Ou seja, com uma lanterninha acusadora, miramos bem na íris de um pobre coitado, ficando ali, com pipoca e guaraná nas mãos, a perguntar com avidez “quando é que essa pessoa vai me fazer feliz?”

Amigo, a verdade é que ninguém vai fazê-lo feliz enquanto você não for inteiro. É preciso conhecer-se profundamente, ou pelo menos estar disposto a isso, com a ajuda do próximo, sem responsabilizá-lo, porém, por sua felicidade, ou puni-lo por não preencher expectativas que ele muitas vezes desconhece.

Evitar expectativas é um ato de desapego. É não distorcer, ou mesmo anular o outro e compreendê-lo exatamente como ele é. Por isso, é bom se dar ao trabalho de conhecer as pessoas das quais se espera alguma coisa, dispondo-se a compreendê-las em sua integridade falha e cotidiana, mas nem por isso menos bela e surpreendente.

Expectativas intoxicam a alma de angústia e ansiedade, não podendo ser a razão mais simples: é que a roda viva continua viva e não costuma seguir muito as ordens de nossas mentes apressadinhas, controladoras e pretensiosamente calculistas.

Mas como não esperar nada do outro? Esperar uma relação feliz seria criar expectativas? Sabe, é provável que expectativas devidamente domadas sejam o único caminho para a calmaria da plenitude. Mais do que esperar ser feliz ao lado de qualquer pessoa, em qualquer tipo de relacionamento, é melhor respirar fundo, encontrar um pouco de paz de espírito e trabalhar para que isso ocorra. Assim, é possível viver cada dia de uma vez.

Fonte: Escrito por Lara Brenner - Via: Revista Bula e http://www.sentimentosemfrases.com/ta-chateado-por-que-quem-criou-expectativas-foi-voce/

Teste de personalidade: Por qual das portas você entraria? Veja o que isso revela sobre você.

Os testes podem revelar muito sobre nossa personalidade, escolha uma porta acima e através do número veja o resultado abaixo:

1. Você é uma pessoa divertida, que adora deixar o ambiente descontraído! Aliás, você sabe apreciar o prazer das coisas simples da vida. Gosta de viajar e de conhecer outras culturas. Saiba que se precisar de ajuda as pessoas estarão prontas para te dar uma “mãozinha”.

2. Você é uma pessoa sem frescuras e não tem medo dos desafios da vida. Mas cuidado, nem tudo se resume à carreira! Tire um tempo para se conhecer melhor e apreciar as pessoas a sua volta. Lembre-se, na vida tudo pede equilíbrio e sempre há tempo de mudar o caminho escolhido.

3. “Pau para toda obra” isso é o que verdadeiramente te define. As pessoas apreciam muito sua companhia. Além disso, você é uma pessoa super artística e isso se manifesta de diversas formas. Mas você precisa se conhecer melhor e descer das nuvens. Foque um pouco mais no mundo real!

4. Tem alma de dramaturgo e se expressa muito bem com a escrita, a música e outros tipos de arte. Seu humor pode variar muito, mas poucas vezes você divide com outras pessoas o que anda pensando. Apesar de você achar que ninguém nunca vai entender seus sentimentos, deveria se arriscar mais e dar a chance dos outros te conhecerem melhor.

5. Você é super produtivo e sempre está cheio de coisas para fazer. Mas você precisa prestar mais atenção no que acontece à sua volta, especialmente com relação às pessoas. Tente relaxar mais e busque coisas que você goste fazer fora de sua rotina comum. Isso ajuda muito a mandar embora o estresse.

6. Relaxe e se preocupe menos com o que as pessoas pensam de você. Tente controlar sua personalidade autodestrutiva, afinal, nem tudo que acontece é culpa sua! Respire e relaxe, a vida não foi feita apenas para tentar agradar as outras pessoas!

7. Você está sempre pronto para tirar um tempo para os outros, mas isso não funciona da mesma forma quando o assunto é ter tempo para você mesmo. Você é muito sentimental e os laços familiares e de amizade são importantes em sua vida.

8. Você tem uma personalidade divertida e brincalhona, mas tende a ser uma pessoa ansiosa. Nem sempre é organizado e pode ser bem orgulhoso em situações específicas. Aprenda a se amar mais e metade de seus “problemas” estarão resolvidos.

9. Você é uma pessoa peculiar e está sempre tentando fazer com que as coisas funcionem bem. Além disso, você é uma pessoa muito fácil de se agradar e adora ajudar os outros. Outro ponto representativo sobre sua personalidade é que você precisa apenas do básico para se sentir feliz.

10. Estabilidade e plenitude são características importantes em sua vida. Você é uma pessoa é contida, econômica, precavida e nunca deixa nada para a última hora. Além disso, você prefere ficar calado que dizer coisas frívolas ou que podem machucar alguém. Seus problemas não são um peso para as pessoas, você pode compartilhar suas dúvidas às vezes. Libere mais seu lado criativo.

Via: http://www.sentimentosemfrases.com/teste-de-personalidade-por-qual-das-portas-voce-entraria-veja-o-que-isso-revela-sobre-voce/

Seguir em frente…

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos – não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram. Foi despedido do trabalho? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus filhos, seus amigos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado. Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardio, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração – e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixa ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais. Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não tem data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – NADA É INSUBSTITUÍVEL, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Fernando Pessoa

Fonte: Minha opinião é sua - via: http://www.sentimentosemfrases.com/seguir-em-frente/

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Cinco maneiras de detectar uma mentira.

Detectar quando alguém não está sendo sincero não é uma habilidade que os detetives da série que você assiste adquirem com a experiência – é saber observar dezenas, centenas de pequenos sinais que o corpo dá durante uma mentira. E isso pode sim vir da experiência, mas também pode ser aprendido. É que o rosto e as expressões faciais, os movimentos da perna, dos braços, a voz e até o cérebro dão uma porção de dicas sobre a honestidade ou a desonestidade de um relato. E se você souber que dicas são essas, pode ser capaz de identificar quando alguém estiver mentindo.

Antes de saber quais são os 10 sinais que podem indicar que alguém está mentindo, saiba muitos deles são sinais associados ao estresse que a pessoa sofre quando precisa mentir. Logo, tome cuidado para não confundir uma pessoa sincera e nervosa por outros motivos com um mentiroso. Além disso, seja sempre cauteloso. Não vale terminar o namoro ou brigar com o melhor amigo por que ele coçou o nariz no meio de uma história.

Uma maneira segura de investigar uma mentira através de sinais subjetivos é estabelecendo um parâmetro para a pessoa que você acha que pode estar mentindo. É simples: faça uma afirmação que você saiba ser verdade sobre ela (“Ah, semana passada você foi viajar para a praia, né?”) e observe como a linguagem corporal dela reage ao concordar. Anote mentalmente. Em seguida, faça outra afirmação sobre ela que você sabe ser mentira (“E lá você terminou com seu namorado, não foi?”) e também observe a maneira como ela reage. Registre tudo: pra onde ela olha, como move a cabeça ao negar, as micro-expressões, onde coloca as mãos.

A partir daí, deve ficar mais fácil de identificar as atitudes específicas daquela pessoa em relação a relatos sinceros e mentirosos. Mas existem sinais universais.

Conheça-os:

1. Contato visual excessivo

Contato visual excessivo. Você já deve ter lido por aí que quem desvia o olhar pode estar mentindo. Só que um estudo sugeriu que, na verdade, mentirosos podem inclusive fazer contato visual exagerado, justamente numa tentativa inconsciente de camuflar isso. E quem não está mentindo, geralmente, tende a não se preocupar com isso e acaba quebrando contato visual casualmente para olhar para objetos estáticos, o que ajuda a focar e reavivar a memória. Portanto, vale mais a pena ficar atento se o sujeito está olhando demais no seu olho.

2. Mãos escondidas

Fique atento para toques no nariz, cobrir a mão com a boca e palmas da mão escondidas – seja no bolso, nas costas ou cruzando os braços. Quando estamos sendo sinceros, tendemos a expôr as palmas das mãos para o outro. Quando mentimos, somos inclinados a nos fechar e esconder as mãos.

3. Movimento dos olhos

Se você é destro e precisa se lembrar de algo, você olha para cima à esquerda. Se você é canhoto e está inventando algo, seus olhos se movem para cima à direita. Inverta a lógica para canhotos e você tem um mecanismo interessante para saber se alguém está inventando uma história ou contando a partir da memória.

4. Reação demorada

Se a pessoa demora pra concordar ou negar o que você acabou de afirmar e há um atraso no movimento da cabeça, por exemplo, pode ser um sinal de que ela está mentindo. Claro que esse intervalo extra dura décimos de segundos, então precisa ser bem observador pra notar.

5. A maneira como a pessoa fala

Nessa parte, há uma série de sinais que pode indicar uma mentira. Nós listamos algumas reações que são apontadas por psicólogos como sinais de insinceridade:

– Repetir exatamente a mesma frase quando nega ou afirma alguma coisa

-Não responde diretamente à pergunta: contesta usando uma outra pergunta ou muda de assunto (meio óbvio, ok, mas sempre importante lembrar)

– Usar muitas expressões do tipo “pra ser honesto”, “honestamente”, “francamente”, “sinceramente”

– Falar difícil demais, usando palavras rebuscadas que normalmente não aparecem no discurso daquela pessoa no cotidiano

– Usar pronomes vagos ou evitar o uso deles. Se o sujeito evitar o pronome “eu” e começar falar usando voz passiva (“isso nunca aconteceu”, “não foi feito por mim”) ou outros sujeitos gramaticais (“as pessoas geralmente não fazem essas coisas”), ele pode estar tentando se distanciar do que está dizendo

– Usar detalhes demais

– Se a voz ficar repentinamente aguda demais ou a pessoa estiver falando mais rápido que o normal, isso pode indicar nervosismo. Gaguejar e parar no meio das frases, também

– Fazer menos afirmações diretas

– Repetir exatamente suas palavras (“Você comeu o pudim que estava na geladeira embrulhado em um plástico?” “Não, eu não comi o pudim que estava na geladeira embrulhado em um plástico”, por exemplo).

Texto-via: http://www.sentimentosemfrases.com/cinco-maneiras-de-detectar-uma-mentira/