terça-feira, 26 de julho de 2016

QUANTO PESAM SUAS PALAVRAS?

Se fosse possível pegar suas palavras e depositar sobre uma balança, quanto elas pesariam? Seriam leves (vazias)? Pesadas (vigorosas)?

O professor Emoto Masaru fez um estudo bastante interessante (e polêmico entre os cientistas) sobre a reação da água às palavras. Resumidamente: as palavras agressivas e negativas deformaram as moléculas, enquanto que as positivas, caprichosamente, provocaram belos desenhos nos cristais.

Há ainda outra experiência – e esta você mesmo pode fazer – que é a influência das palavras e da música em plantas, flores e árvores. Palavras e músicas agressivas bagunçam e inibem o crescimento da planta; já a música clássica e as palavras gentis parecem, de algum modo, potencializar o crescimento delas.

Veja o trecho desta reportagem (disponível no R7): “Segundo os produtores, um pé das bananas da fazenda chega a dar de dez a 12 pencas, enquanto as de outros bananais não passam de seis pencas. Como não há utilização de adubos ou agrotóxicos, o bom crescimento das frutas tem sido atribuído à música clássica.”.

Com estes dois casos já é possível criarmos uma linha de raciocínio mais sólida com palavras e água.

Palavras estão em inúmeros lugares e em boa parte da nossa mente o dia inteiro e todos os dias. Pensamentos, músicas, conversas, leituras, placas…

Água está no ar, no mar, nas geleiras, nos lençóis freáticos, nos lagos, rios, alimentos, humanos…! É sabido cientificamente que 70% do nosso corpo é água. A água está sempre conosco! Desde o café da manhã até o escovar dos dentes antes de dormir.

Palavra e água, dois importantes elementos moldando nossas vidas e presentes em quase 100% do nosso tempo. A pergunta é: Quais são as palavras que saem da sua boca? Estamos em época de chuva, pense na quantidade de moléculas d’água que está ao seu e ao meu redor. Noite e dia. Dia e noite. Cuidado com o que se diz!

Mas aí surge um novo problema: e quem é mudo? Não pode ‘modificar’ a água?

Pode. Com o sentimento. Aliás, eu digo que as palavras são garrafas vazias, e que nós as enchemos (ou não) ao dar às pessoas. Para brasileiros, “pequeno almoço” é um almoço pequeno, para portugueses, é café da manhã. As palavras têm significados (conteúdo da garrafa) diferentes; e isto pode justificar satisfatoriamente a agressão às moléculas do experimento citado. Quer seja dito”ódio” ou “hate” (ódio, em inglês), elas se deformarão. É o sentimento agindo.

Pergunta: Quando você faz um desejo, quando você visualiza algo, como e o que você está sentindo? Você se sente eufórico e entusiasmado (com o que vai acontecer) ou inseguro e preocupado (com o que está aqui e agora)?

Aquele papo de “quanto mais rezo, mais assombração aparece” é real quando o que se pede é ‘luz’, mas o que se sente é ‘medo’. Palavras sem sentimento são apenas ruídos. Sentimentos sem palavras são tudo. Cuidado com o que se pensa!
DICA:

Cultive uma planta, adote um animal de estimação ou pegue um bebê no colo.

Perceba a alteração no seu sentimento. É algo muito natural, muito bonito, automático e instintivo, você dá um jeito e some com aquela raiva, medo ou, seja qual for o sentimento! Você se livra! (Olha que lindo isto: se livrar, se libertar!) Você não quer passar nada de ruim para aquele bebê. Toda aquela massa negativa é transformada em amor, cuidado e proteção. Especialmente se o bebê estiver chorando ou o cãozinho estiver assustado, o seu sentimento é completamente amoroso, cuidadoso e protetor.

Eu quero que você tenha este sentimento com seus desejos e visualizações!

Quero que sinta amor e zelo por cada um deles. Quero que seja atencioso(a), que queria o melhor para suas visualizações e suma com a negatividade. SUMA! Se livre!

Livre-se de tudo o que te impede de chegar ao seu objetivo. Livre-se do medo, raiva, impaciência, insegurança. Liberte-se! Liberdade! Seja livre! Não permita a autossabotagem!

Imagine seu sonho com medo, e pegue-o no colo, convide-o a vir, pois está tudo bem. “Vem! Aqui, vem! Não tenha medo. Vem!”. “Como você é linda, muita gratidão por fazer minha vida mais bela, cheirosa e colorida.”. “Já passou, já passou. Não chora.”. E está tudo bem.

Pratique, lide com a planta, animal ou bebê todos os dias, aprenda a desenvolver esta capacidade de desligar o sentimento ruim e ligar/ser amor, cuidado e proteção.

Mude o sentimento e estará tudo bem.

Está tudo bem.

Fonte: https://osegredo.com.br/2016/01/quanto-pesa-suas-palavras/