segunda-feira, 25 de julho de 2016

NÃO INTERNALIZE AS OFENSAS DOS OUTROS, SORRIA E SIGA EM FRENTE...

Somos feitos, em grande parte, do que outros deixam em nós: do que permitimos que coloquem em nosso interior e do decidimos nos libertar.

Nos ensinam a nos defendermos, também a amarmos, mas às vezes se esquecem de incutir o sábio prazer de ignorar. É por isso que às vezes os movemos em parâmetros perigosos e absolutistas: bom ou mau, desastroso ou maravilhoso … cruel ou bondoso.

Esta forma de analisar a realidade não é totalmente fácil, porque saber o que acontece em nossas vidas é o primeiro passo a fluir e para que o mundo não se torne uma luta constante e esmagado a. Os demais não estão constantemente pensando sobre quem somos e como nos sentimos. Todos estão ocupados em suas próprias lutas, que às vezes não é a nossa.

É por isso que devemos dar-nos uma chance de vivermos mais leves e apaixonados. Não internalize as ofensas dos outros: sorria e siga adiante. Dê uma pausa a si mesmo e uma lição aos demais.

Não internalizar é saber viver

Não internalizar tudo o que acontece conosco é olhar como espectador o que podemos não ser capazes de tolerar como único protagonista. O mundo está envolvido em batalhas e temos que ser inteligentes na escolha do que é nosso e o que é dos outros … apenas manter o seu espírito limpo pode ajudar com o resto.

“Seja amável. Cada pessoa que você encontra está lutando sua própria batalha.”- Atribuída à Platão

Se fôssemos levar a sério cada ofensa que nos fazem, estaríamos mais quebrados do que inteiros. Supor que existem pessoas que nunca sentirão empatia por nossa situação e nossa luta abre um caminho esperançoso: escolher nossos aliados espirituais mais rapidamente, sem ressentimento e destfrutando mais de sua companhia.
Não internalizar as ofensas não significa ser cego à elas. O que nos machuca é automático, não damos permissão para a dor emocional nos ferir … da mesma forma que não podemos evitar tirar nossas mãos de algo quente que nos provoca dor física.

Mas, se somos capazes de tirar a mão quando sabemos que existe risco de nos queimarmos … Por que às vezes entregamos nossas mentes e almas para as chamas do ressentimento e da ofensa? Por que não assumirmos que nos sentirmos ofendido e magoados é normal e que guardar esses sentimentos é perigoso?

Não internalizar é deixar de ser suscetível para ser inteligente

Não internalizar as ofensas não faz de você um ser insensível, frio, ou cruel. É simplesmente não dar alegria e prazer para aqueles que realmente querem nos ferir.

Não internalizar ofensas é fornecer ao nosso cérebro maior avidez e prevenção de futuras situações desagradáveis ​​… e dar à nossa alma força e determinação para enfrentá-las.

“Escolha bem as suas batalhas, às vezes estar em paz é mais importante do que estar certo.”

Às vezes, nós vemos isso como impossível. Dramatizamos partes de nossas vidas, porque muitas pessoas ao nosso redor também agem assim. Parece que as grandes histórias estão cheias de remoroso e que as pessoas que pensávamos sucedidas, estão sempre em tensão e atacando outras. Que não nos enfrentarmos é um sinal de fraqueza, quando na verdade é um sinal de inteligência e maturidade emocional.
Distingui quem quer te ajudar de quem só quer prejudicá-lo

As armadilhas mentais que às vezes infligimos a nós mesmos são muito mais cruéis e dolorosas do que todos os crimes, assaltos e humilhações que os outros nos fazem.

Deixa de apreciar o que uma vez causou te desprezou. Tire conclusões gerais, analise o motivo de suas falhas e das falhas dos outros.

Às vezes, essa análise mostra os ambientes que você deve evitar … e, por vezes, o que deve melhorar em si mesmo de modo para não ser o negativo que habita em si mesmo. Não se pode dar nada de novo e bom, se tudo que você tem no interior é velho e amargo.

Fonte do texto: La mente es maravillosa - Traduzido pela equipe do site O Segredo - Via: https://osegredo.com.br/2015/12/nao-internalize-as-ofensas-dos-outros-sorria-e-siga-em-frente/