sábado, 23 de julho de 2016

BATALHAS INÚTEIS...

Há coisas que deixei para trás e mesmo sabendo onde encontrá-las, sei que a vida muitas vezes é uma viagem sem volta. Mas eu não tenho medo e nem me arrependo de nada porque sei pelo que vale a pena lutar. Muitas batalhas são inúteis e por elas não vale a pena se machucar.

Existem coisas que não perdemos, simplesmente deixamos para trás. Precisamos saber quando é a hora de seguir em frente sem as pessoas e coisas que são muito diferentes de nós, que não possuem os nossos valores e nem a nossa essência.

Quantas coisas você já deixou para trás? Às vezes, analisando tudo o que já vivemos, todo o empenho, todo o esforço, tudo ao que renunciamos por determinada pessoa ou por algum projeto, percebemos que são como a fumaça que escapa através de uma janela aberta.

Muitas vezes não conseguimos perceber a realidade como ela é realmente. Nossas ilusões, esperanças e sonhos nos deixam de “olhos vendados”. Até que chega a decepção, até que chega o momento em que percebemos que a balança da nossa vida está desequilibrada. Não temos nada, não ganhamos nada e o nosso sonho é apenas um sonho ruim.

O que fizemos de errado? Temos que nos arrepender de tudo o que já vivemos? Nunca. Quem não luta pelos seus sonhos não é corajoso, quem não batalha pelas suas ilusões não alcança a lua. Sinta-se orgulhoso da sua coragem, mas lembre-se de que “dar um tempo” pode ser uma estratégia prudente e sábia.
Essas batalhas inúteis em nossas vidas…

Ninguém sabe o quanto uma batalha ou um sonho são inúteis até que a realidade os atinja com toda sua dureza.

Não importa se estamos falando de um emprego, de uma amizade ou relacionamento; a vida é uma sucessão de momentos em que somos testados e de momentos felizes que nos trazem muitas alegrias. O importante é aprender com cada experiência vivida.

Você pode ter cometido muitos erros e deixado muitas coisas para trás. Deve se lamentar por isso? Nunca. Lamentar um erro é alimentar a amargura por uma determinada escolha que fizemos ao longo da vida.

Os erros devem ser assumidos, entendidos, processados e integrados ao que chamamos de “baú das experiências”. Se esses erros lhe trazem péssimas recordações, não alimente esse sentimento. As recordações desagradáveis devem ser substituídas pelo aqui e agora, pela felicidade de hoje.

Nenhuma batalha é perdida, porque é vida vivida e lições aprendidas. O importante é perceber o quanto antes se um projeto merece ou não os nossos esforços e sacrifícios.
Qual é a hora certa de desistir?

Pode ser que nesse exato momento, muitos de nós estejamos alimentando esperanças por um projeto que não vale a pena.

Vamos refletir um pouco a esse respeito:

1- O poder das falsas expectativas

Às vezes, caímos na armadilha de culpar os outros por alimentar nossas falsas ilusões, quando na realidade a responsabilidade é nossa. Algumas pessoas desejam aquele emprego dos sonhos, mas não têm qualificação nem formação para assumir esse cargo.

Outros fixam todas as suas emoções e ansiedade em uma determinada pessoa que nunca lhes deu a menor atenção e nem demonstrou qualquer sentimento por eles. Não podemos perder de vista a objetividade, o equilíbrio e as perspectivas.

2- O custo emocional

Essa força interior que chamamos de emoção é, na verdade, um motor poderoso e muito perigoso. Em muitas ocasiões nos faz dar até nosso último suspiro pela pessoa amada.

Não vemos os limites e abrimos nosso coração sem ler o manual de instruções. Esse manual deveria nos alertar: seja cauteloso, proteja sua autoestima. Mas nem sempre prestamos atenção nessa voz interior.

Temos que acreditar que também merecemos receber. Você pode me oferecer amizade, apoio, cumplicidade, respeito e reconhecimento?

Esse relacionamento afetivo alimenta suas ilusões? Seu parceiro está tão comprometido quanto você? Se não for assim, reflita e tome sua decisão.

Batalhas inúteis são todas as pessoas egoístas que não nos reconhecem e que acabam com as nossas forças e nossos sonhos ao invés de nos apoiar.

Esqueça o passado, siga em frente. Só você sabe onde está e principalmente onde quer chegar.

Fonte do texto: https://osegredo.com.br/2015/11/batalhas-inuteis/