quarta-feira, 8 de junho de 2016

O QUE EU APRENDI COM VOCÊ?

Aprendi que o amor podia chegar intenso e rapidamente. Percebi que o tempo podia ser um mero detalhe. Dormir abraçada era algo possível. E brincar mesmo nos seus momentos de rara seriedade me era permitido.

Aprendi que carinho podia ser demasiado. E demasiado bom. Entendi que paz de espírito podia chegar através de alguém que não eu mesma.

Percebi em pouco tempo que podia passar as horas agarrada à você. Não me enjoava seus risos e piadas repetidas, nem os seus defeitos sobre os quais nunca falei. Talvez tenha pecado neste ponto, acho que você entendeu que era perfeito…

Mas perfeito foram sim os momentos, as afinidades e as conversas até alta madrugada. A insônia seguida de calor no meio da noite. Meu corpo nu tão frequentemente sobre o seu.

Aprendi que o excesso de presença não me sufocou como eu havia pensado que aconteceria. Descobri que podia me sentir segura.

Aprendi a admirar você em diversos aspectos. Entendi que era bom como pai, como filho e tanto mais. Ao mesmo tempo que tinha carisma, sabia ser sério e espiritual. Como não confiar em alguém assim?

As qualidades eram muitas e apesar de tudo continuo pensando assim. Aprendi que cada um tem seus pontos fracos. E por mais qualidades que se tenha, todas elas juntas podem não superar uma única dificuldade.

Apesar de todo amor e afinidade, apenas uma diferença foi capaz de transformar seus sentimentos em desprezo.

Mas foi bom. Melhor do que todo amor que senti, mesmo com toda dor que veio depois, foi ter percebido que não me lamento ou busco por culpados. O Universo bem fez sua tentativa.

Cada um em seu nível de evolução, buscamos o amor todos os dias. Dependendo de onde estamos, podemos seguir com ele. Ou não. Nada deveria ser mais forte do que o amor. Mas se é, seguimos em frente pelo caminho que nos levará um dia até ele.

Aprendi que volto a seguir sozinha, mesmo sem as explicações que acredito que merecia.

Gostaria de dizer que sinto muito pelo preconceito que você carrega. Não deve ser leve. Talvez você ainda tenha que viver algumas dores para aprender. E não deixar que o amor lhe escape entre os dedos com tanta naturalidade.

Sinto agora que não seja comigo, mas é porque ainda é um amor recente. Mais um pouco e me sentirei feliz pela oportunidade de encontrar alguém que não me veja tão pequena, mas que sinta e queira toda a minha força a seu lado.

Aprendi que apesar da dor, ainda posso me sentir grata. Mas agora simplesmente sigo o meu caminho, para alguém que veja em mim bem mais do que você pôde ver.

E a vida é assim.

Aprendi.

Fonte do texto: https://osegredo.com.br/2016/05/o-que-eu-aprendi-com-voce/