terça-feira, 24 de novembro de 2015

MANTENHA UM RELACIONAMENTO SÉRIO COM VOCÊ

É desnecessário você se matar pra provar pro outro que você é gente boa, que tem coração puro, que sabe valorizar uma boa amizade. Que é gente de carater e personalidade. Quando uma pessoa cisma em te alfinetar , não adianta , ela só vai parar quando se cansar, ou quando perceber que o ego dela não faz fama alguma. Há pessoas que tem mania de nos desenhar, ou preferem acreditar na referência alheia, não se permitem nos conhecer, não nos dão uma chance de apresenta-las o nosso lado mais gentil , e tentar forçar um relacionamento com este tipo de pessoa é desgastar toda delicadeza que a gente possui. O coração da gente é terra fértil, lugar de boas semente, tem luz , tem vida, tem Deus e tem brilho. Nem todos conseguem chegar até ele, nem todos conseguem senti-lo como deveria, portanto mantenha um relacionamento sério com você , se cuida , se valorize e aqueles que merecerem o seu carinho , o seu amor a sua amizade e o seu respeito vão chegar até você sem dificuldade alguma, sem rodeios, sem atalhos , sem tantos questionamentos...

-Cecilia Sfalsin

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Só mais 5 minutos

No parque, uma mulher senta-se ao lado de um homem e diz:

- Aquele ali é meu filho, o de camisa vermelha no escorregador.

- Um bonito garoto - respondeu o homem - e completou:

- Aquela de vestido branco, na bicicleta, é minha filha. 

Então, olhando o relógio, o homem chama a menina:

- Nicole, o que você acha de irmos?

- Mais cinco minutos, pai. Por favor. Só mais cinco minutos!

O homem concorda e Nicole continua pedalando sua bicicleta, para alegria de seu coração. Os minutos se passam, e o pai levanta-se novamente chamando sua filha:

- Hora de irmos, agora. Vamos?

Mas, outra vez, e garotinha pede:

- Mais cinco minutos, pai. Só mais cinco minutinhos...

O homem sorri e diz:

- Está certo.

A mulher, vendo a cena, comenta:

- O senhor é certamente um pai muito paciente. 

O homem sorri e diz:

- Minha senhora, eu aprendi o valor do tempo. Perdi meu filho no ano passado. Ele foi atropelado por um motorista bêbado, quando andava de bicicleta perto daqui. Eu nunca passei muito tempo com meu filho e agora eu daria qualquer coisa por apenas mais cinco minutos com ele. Eu me prometi não cometer o mesmo erro com a Nicole. Ela acha que tem mais cinco minutos para andar de bicicleta, quando, na verdade, eu é que tenho mais cinco minutos para vê-la brincar.

(autor desconhecido)

Compartilhei esta história para refletirmos sobre o tempo. O tempo é o bem mais precioso que temos. Quando damos um minuto de nosso tempo em atenção a alguém, estamos dando um minuto de nossas vidas a estas pessoas. Valorize o tempo. Dedique tempo de qualidade às pessoas que você ama. Em tudo na vida estabelecemos prioridades. Quais são as suas?

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

POR QUE AS PESSOAS GRITAM?

Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos:

- Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?

- Gritamos porque perdemos a calma. - diz um aprendiz.

- Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?

- Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça. - responde o aprendiz.

E o mestre volta a perguntar:

– Então não é possível falar-lhe em voz baixa?

Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador. 

Então ele esclareceu: – Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido?

O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância.

Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão apaixonadas? Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê? Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram. E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta. Seus corações se entendem.

É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.

Por fim, o pensador conclui, dizendo: “Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta.”

(autor desconhecido)

REFLEXÃO: A TOLERÂNCIA

A vida nos ensina preciosas lições, todos os dias.

Queremos compreender e ser compreendidos, mas isso nem sempre é tão fácil.

Muitas vezes, a pessoa de cuja compreensão você mais precisa é justamente a que menos te compreende. E você? Compreende os outros?

Compreender as pessoas e suas dificuldades é fundamental para construirmos melhores relacionamentos.

Tolerar não significa aceitar passivamente tudo. Significa respeitar as diferenças, colocando nosso ponto de vista com humildade e serenidade.

A tolerância é o exercício do amor, da humildade, da paciência, da compreensão. É o caminho suave que permite conviver entre as diferenças. A tolerância aproxima as pessoas.

Exerça a tolerância, afinal, somos todos aprendizes na escola da vida.
-A.D

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

O QUE MANTEM UM CASAL?

Um famoso professor se encontrou com um grupo de jovens que falavam contra o casamento.
Os rapazes argumentavam que o que mantem um casal é o romantismo e que é preferível acabar com a relação quando este se apaga em vez de se submeter a triste monotonia do matrimonio. O mestre disse que respeitava sua opinião mas lhes contou o seguinte:
Meus pais viveram 55 anos casados. Uma manha minha mãe descia as escadas para preparar o desjejum para meu pai e sofreu um infarto. Caiu. Meu pai correu até ela, a levantou como pôde e quase se arrastando a levou até a caminhonete. Sem respeitar o transito, dirigiu a toda velocidade até o hospital. Quando chegou, infelizmente ela já havia falecido.
Durante o enterro, meu pai não falou, ficava olhando para o nada. Quase não chorou. Eu e meus irmãos nos reunimos com ele. Num ambiente de dor e nostalgia recordamos momentos engraçados. Ele pediu ao meu irmão que é teólogo que lhe explicasse, onde mamãe estava naquele momento. Meu irmão falou que naquele momento, minha mãe repousava e que ali ficaria até que Jesus retornasse.
Falou da volta de Jesus e da manhã da Ressurreição quando veremos mamãe novamente. Meu pai ouviu atentamente.
De repente ele pediu - "levem-me ao cemitério".
Mas pai - respondemos - São 11 da noite! Não podemos ir ao cemitério agora!" Aí ele ergueu a voz e com o olhar vidrado disse:
- Por favor, não discutam com um homem que acaba de perder aquela que foi sua esposa por 55 anos".
Houve um momento de respeitoso silencio. Não discutimos mais. Fomos ao cemitério, pedimos permissão ao zelador, com uma lanterna encontramos a lapide. Meu pai a acariciou, chorou e disse a seus filhos que o viam comovidos:
-"Foram 55 bons anos... sabem?, Ninguém pode falar do amor verdadeiro se não tem idéia do que é compartilhar a vida com uma mulher assim".
Fez uma pausa e enxugou as lágrimas.
-"Ela e eu estivemos juntos naquela crise. Mudei de emprego continuou. Recompramos toda a mobília quando vendemos a casa e mudamos de cidade. Compartilhamos a alegria de ver nossos filhos terminarem suas carreiras, choramos um ao lado do outro quando entes queridos partiam, oramos juntos na sala de espera de alguns hospitais, nos apoiamos na hora da dor, nos abraçamos em cada Natal, e perdoamos nossos erros...
- Filhos, agora ela se foi e estou contente, sabem por que?, porque ela se foi antes de mim, não teve que viver a agonia e a dor de me enterrar, de ficar só depois da minha partida. Serei eu quem vai passar por isso, e agradeço a Deus por isso. Eu a amo tanto que não gostaria que sofresse assim...
Quando meu pai terminou de falar, meus irmãos e eu estávamos com os rostos cobertos de lágrimas . Nós o abraçamos e agora ele nos consolava:
-"Está tudo bem, meus filhos, podemos ir pra casa; este foi um bom dia".
Naquela noite entendi o que é o verdadeiro amor. Muito além do romantismo, sem muito a ver com o erotismo, mas bem se vincula ao trabalho e ao cuidado a que se professam duas pessoas realmente comprometidas...
Obrigado meus amigos e amigas por tomarem esses breves minutos e ler essa mensagem. Espero que seu conteúdo lhes mostre um pouco do melhor da vida.
Por favor compartilhe essa mensagem com seus amigos e assim eles também possam entender algo de valor para suas vidas.
Que Deus te abençoe e te guarde, e te dê a benção de viver o verdadeiro amor.
Quando o mestre terminou de falar, os jovens universitários não puderam argumentar. Esse tipo de amor era algo que não conheciam.

(Desconheço autor)

O PRINCÍPIO DO VAZIO

Você tem o hábito de juntar objetos inúteis, acreditando que um dia (não sabe quando) poderá precisar deles?

Você tem o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outros tipos de equipamentos que já não usa há um bom tempo?
E dentro de você? Você tem o hábito de guardar mágoas, ressentimentos, raivas e medos? Não faça isso.
É antiprosperidade. É preciso criar um espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem a sua vida.
É preciso eliminar o que é inútil em você e na sua vida, para que a prosperidade venha.
É a força desse vazio que absorverá e atrairá tudo o que você almeja. Enquanto você estiver material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades. Os bens precisam circular.
Limpe as gavetas, os guarda-roupas, o quartinho lá do fundo, a garagem. Dê o que você não usa mais. Venda, troque, movimente e não acumule.
Dê espaço para o novo.
A atitude de guardar um monte de coisas inúteis amarra sua vida. Não são os objetos guardados que emperram sua vida, mas o significado da atitude de guardar.
Quando se guarda, considera-se a possibilidade da falta, da carência. É acreditar que amanhã poderá faltar, e você não terá meios de prover suas necessidades.
Com essa postura, você está enviando duas mensagens para o seu cérebro e para a vida: primeiro, você não confia no amanhã e, segundo, você acredita que o novo e o melhor não são para você, já que se contenta em guardar coisas velhas e inúteis.
O princípio de não acreditar que o melhor é para você, pode se manifestar, por exemplo, na conservação de um velho e inútil liquidificador.
Esse princípio, expresso num objeto, denota um comportamento que pode também estar presente em outras áreas da sua vida, gerando entraves ao sucesso e à prosperidade.
O simples fato de dar para alguém o velho liquidificador, colocando o objeto em circulação, cria um vácuo para que algo melhor ocupe o espaço deixado.
Emocionalmente, também você passa a acreditar que o novo compensará o objeto doado. Uma faxina básica, apesar da trabalheira e do cansaço que provoca, ao final é sempre bem-vinda.
Arejar espaços, fora e dentro da gente faz um bem enorme! Vamos lá. Mãos à obra! Desfaça-se do que perdeu a cor e o brilho e deixe entrar o novo em sua casa e em você! Você vera como sua vida vai melhorar.

(Desconheço autor)

SOPRE AS CINZAS

Quem feriu você, já feriu e já passou. Lá na frente encontrará o inevitável retorno e pelas mãos de outrem, se merecer, será ferido também. A Vida se encarregará de
dar-lhe o troco e você, talvez, jamais fique sabendo. O que importa de verdade é o que você sentiu e, mais importante, é o que ainda você sente:
Mágoa? Rancor? Ressentimento? Ódio?
Você consegue perceber que esses sentimentos foram escolhidos por você? Somos nós que escolhemos o que sentir diante de agressões e de ofensas.
Quem nos faz o mal é responsável pelo que faz, mas NÓS somos responsáveis pelo que sentimos. Essa responsabilidade tem a ver com o Amor que devemos e temos que sentir por nós mesmos.
O ofensor fez o que fez e o momento passou, mas o que ficou aí dentro de você? Mágoa
- Você sabia que de todas as drogas ela é a mais cancerígena?
Pela sua própria saúde, jogue-a fora. Rancor
- Ele é como um alimento preparado com veneno irreconhecível: dia mais, dia menos, você poderá contrair doenças de cujas origens nem suspeitará. Ressentimento
- Pois imagine-se vivendo dentro de um ambiente constantemente poluído, enfumaçado, repleto de bactérias e de incontáveis tipos de vírus: é isso que seu coração e seus pulmões estão tentando agüentar. Até quando você acha que eles vão resistir? Ódio
- Seus efeitos são paralisantes. Seu sistema imunológico entrará em conflito com esse veneno que com o tempo poderá colocar você face a face com a morte e talvez muito tarde você venha a perceber que melhor seria ter deixado que seu agressor colhesse os frutos do próprio plantio.
Por seu próprio Bem e pelo seu Bem, perdoe.
O perdão o libertará e o fará livre para ser feliz. Esqueça o mal que lhe foi feito.
Deixe o seu ofensor de lado, e não penses nele com ímpetos de vinganças. Siga a sugestão. Se desejas ser feliz por um dia: vinga-te. Se desejas ser feliz por toda a vida: PERDOE
Mude seu destino ...Não permita que suas emoções negativas dominem os seus sentimentos. Seja o(a) comandante da sua nau! Escolha o melhor caminho para sua "viagem"
E se outras vezes o ferirem, perdoe ... Perdoe ... Como Cristo perdoou os que o crucificaram. Que Tenhas muita paz de espírito. Sopre as Cinzas. Deixe-as ao vento.

(Desconheço autor)

O BEM MAIS PRECIOSO

Conta o folclore europeu que há muitos anos atrás um rapaz e uma moça apaixonados resolveram se casar.
Dinheiro eles quase não tinham, mas nenhum deles ligava para isso.
A confiança mútua era a esperança de um belo futuro, desde que tivessem um ao outro.
Assim, marcaram a data para se unir em corpo e alma.
Antes do casamento, porém, a moça fez um pedido ao noivo:
– Não posso nem imaginar que um dia possamos nos separar. Mas pode ser que com o tempo um se canse do outro, ou que você se aborreça e me mande de volta para meus pais.
– Quero que você me prometa que, se algum dia isso acontecer, me deixará levar comigo o bem mais precioso que eu tiver então.
O noivo riu, achando bobagem o que ela dizia, mas a moça não ficou satisfeita enquanto ele não fez a promessa por escrito e assinou. Casaram-se.
Decididos a melhorar de vida ambos trabalharam muito e foram recompensados.
Cada novo sucesso os fazia mais determinados a sair da pobreza, e trabalhavam ainda mais.
E tempo passou e o casal prosperou. Conquistaram uma situação estável e cada vez mais confortável, e finalmente ficaram ricos.
Mudaram-se para uma ampla casa, fizeram novos amigos e se cercaram dos prazeres da riqueza.
Mas, dedicados em tempo integral aos negócios e aos compromissos sociais, pensavam mais nas coisas do que um no outro.
Discutiam sobre o que comprar, quanto gastar, como aumentar o patrimônio, mas estavam cada vez mais distanciados entre si.
Certo dia, enquanto preparavam uma festa para amigos importantes, discutiram sobre uma bobagem qualquer e começaram a levantar a voz, a gritar, e chegaram às inevitáveis acusações.
– Você não liga para mim! – gritou o marido – só pensa em você, em roupas e jóias.
– Pegue o que achar mais precioso, como prometi, e volte para a casa dos seus pais. Não há motivo para continuarmos juntos.
A mulher empalideceu e encarou-o com um olhar magoado, como se acabasse de descobrir uma coisa nunca suspeitada.
– Muito bem, disse ela baixinho. Quero mesmo ir embora. Mas vamos ficar juntos esta noite para receber os amigos que já foram convidados.
Ele concordou. A noite chegou. Começou a festa, com todo o luxo e a fartura que a riqueza permitia.
Alta madrugada o marido adormeceu, exausto. Ela então fez com que o levassem com cuidado para a casa dos pais dela e o pusessem na cama.
Quando ele acordou, na manhã seguinte, não entendeu o que tinha acontecido.
Não sabia onde estava e, quando sentou-se na cama para olhar em volta, a mulher aproximou-se e disse-lhe com carinho:
– Querido marido, você prometeu que se algum dia me mandasse embora eu poderia levar comigo o bem mais precioso que tivesse no momento.
– Pois bem, você é e sempre será o meu bem mais precioso. Quero você mais que tudo na vida.

Envolveram-se num abraço de ternura e voltaram para casa mais apaixonados do que nunca.

(Desconheço autoria)

AULA DE DIREITO

Uma manhã, quando nosso novo professor de "Introdução ao Direito" entrou na sala,

a primeira coisa que fez foi perguntar o nome a um aluno que estava sentado na primeira fila:
- Como te chamas?
- Chamo-me Juan, senhor.
- Saia de minha aula e não quero que voltes nunca mais!
- gritou o desagradável professor.
Juan estava desconcertado.
Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala.
Todos estávamos assustados e indignados, porém ninguém falou nada. 
- Agora sim! - e perguntou o professor - para que servem as leis?...
Seguíamos assustados porém pouco a pouco começamos a responder à sua pergunta:
- Para que haja uma ordem em nossa sociedade.
- Não! - respondia o professor.
- Para cumpri-las.
- Não!
- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos.
- Não!!
- Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?!
- Para que haja justiça - falou timidamente uma garota. 
- Até que enfim! É isso... para que haja justiça.
E agora, para que serve a justiça?
Todos começávamos a ficar incomodados pela atitude tão grosseira.
Porém, seguíamos respondendo:
- Para salvaguardar os direitos humanos...
- Bem, que mais? - perguntava o professor.
- Para diferençar o certo do errado... Para premiar a quem faz o bem...
- Ok, não está mal porém... respondam a esta pergunta:
agi corretamente ao expulsar Juan da sala de aula?...
Todos ficamos calados, ninguém respondia.
- Quero uma resposta decidida e unânime!
- Não!! - respondemos todos a uma só voz.
- Poderia dizer-se que cometi uma injustiça?
- Sim!!!
- E por que ninguém fez nada a respeito?
Para que queremos leis e regras se não dispomos da vontade necessária para pratica-las? 
- Cada um de vocês tem a obrigação de reclamar
quando presenciar uma injustiça. Todos.
Não voltem a ficar calados, nunca mais!
- Vá buscar o Juan - disse, olhando-me fixamente.
Naquele dia recebi a lição mais prática no meu curso de Direito.
Quando não defendemos nossos direitos
perdemos a dignidade e a dignidade não se negocia.

-Autor desconhecido

A ARTE DE NÃO SE IRRITAR

Em uma cidade interiorana havia um homem que não se irritava e não discutia com ninguém.
Sempre encontrava saída cordial, não feria a ninguém, nem se aborrecia com as pessoas.
Morava em modesta pensão, onde era admirado e querido.
Para testá-lo, um dia seus companheiros combinaram levá-lo à irritação e à discussão numa determinada noite em que o levariam a um jantar.
Trataram todos os detalhes com a garçonete que seria a responsável por atender a mesa reservada para a ocasião. Assim que iniciou o jantar, como entrada foi servida uma saborosa sopa, que o homem gostava muito.
A garçonete chegou próxima a ele, pela esquerda, e ele, prontamente, levou seu prato para aquele lado, a fim de facilitar a tarefa.
Mas ela serviu todos os demais e, quando chegou a vez dele, foi embora para outra mesa.
Ele esperou calmamente e em silêncio, que ela voltasse. Quando ela se aproximou outra vez, agora pela direita, para recolher o prato, ele levou outra vez seu prato na direção da jovem, que novamente se distanciou, ignorando-o.
Após servir todos os demais, passou rente a ele, acintosamente, com a sopeira fumegante, exalando saboroso aroma, como quem havia concluído a tarefa e retornou à cozinha.
Naquele momento não se ouvia qualquer ruído. Todos observavam discretamente, para ver sua reação.
Educadamente ele chamou a garçonete, que se voltou, fingindo impaciência e lhe disse: o que o senhor deseja?
Ao que ele respondeu, naturalmente: a senhora não me serviu a sopa.
Novamente ela retrucou, para provocá-lo, desmentindo-o: servi, sim senhor!
Ele olhou para ela, olhou para o prato vazio e limpo e ficou pensativo por alguns segundos…
Todos pensaram que ele ia brigar… Suspense e silêncio total.
Mas o homem surpreendeu a todos, ponderando tranqüilamente: a senhorita serviu sim, mas eu aceito um pouco mais!
Os amigos, frustrados por não conseguir fazê-lo discutir e se irritar com a moça, terminaram o jantar, convencidos de que nada mais faria com que aquele homem perdesse a compostura...
Bom seria se todas as pessoas agissem sempre com discernimento em vez de reagir com irritação e impensadamente.
Ao protagonista da nossa singela história, não importava quem estava com a razão, e sim evitar as discussões desgastantes e improdutivas.
Quem age assim sai ganhando sempre, pois não se desgasta com emoções que podem provocar sérios problemas de saúde ou acabar em desgraça.
Muitas brigas surgem motivadas por pouca coisa, por coisas tão sem sentido, mas que se avolumam e se inflamam com o calor da discussão.
Isso porque algumas pessoas têm a tola pretensão de não levar desaforo para casa, mas acabam levando para a prisão, para o hospital ou para o cemitério.
Por isso a importância de aprender a arte de não se irritar, de deixar por menos ou encontrar uma saída inteligente como fez o homem no restaurante.
Pense nisso!

-Autor desconhecido

COISAS ESQUECIDAS

Coisa boa é o tempo de namoro.
Tempo quando sentimos que somos importantes. O outro preocupa-se, telefona, faz carinho, diz coisas ridiculamente lindas ao nosso ouvido, faz surpresas, dá a mão e beijos intermináveis.
Mas a longa convivência vai apagando aos poucos o essencial de um relacionamento.
Acostuma-se tanto ao outro que certas coisas perdem o sentido.
Esquece-se do beijo na saída e na chegada. E... de antes de dormir.
Esquece-se do abraço bem apertado que diz tanto sem dizer nada.
Esquece-se de datas importantes e comuns aos dois.
Esquece-se de andar lado a lado.
Esquece-se do te amo, do estou feliz porque tenho você.
Esquece-se do poder de uma flor.
Esquece-se... do namoro!
Fala-se do passado como no bom tempo. Mas... passado!
E as pessoas surpreendem-se por viverem tão afastadas vivendo juntas.
Um se deita mais cedo, o outro mais tarde; um se levanta, o outro fica.
Fazem amor por obrigação.
Culpa de quem? Dos dois.
Quando há um problema entre um casal a culpa é fatalmente dos dois lados. Uma coisa conduz a outra.
E muitos casais seguem assim. Juntos, apesar de tudo, cada um do seu lado sofre interiormente de solidão. Cada um sonha, secretamente, com emoções esquecidas, com grandes paixões.
E ninguém pensa em reacender a brasa. Ninguém pensa em reconquistar o que se tem,
justamente porque se tem. Mas há tanto que pode ser feito!
Lembre-se das coisas esquecidas!
Lembre-se do início.
O que foi mesmo que te conquistou no outro? Inversamente, pense no que foi em você que conquistou o outro coração.
Reaviva a chama!
Nunca permita que o essencial morra por causa de trabalho, estresse, filhos e atividades extras.
É essencial estar juntos. Mas, mais que isso, amar juntos de amor inteiro.
É preciso cuidar do amor como se cuida de algo frágil.
A pessoa amada não faz parte dos móveis da casa.
Cuide dela e cuide-se. Antes que a vida a dois caia no esquecimento.
Não se esqueça de lembrar-se das coisas esquecidas! Amor não é só para os jovens não.
Paixão faz bem em qualquer idade. Carinho nunca é demais. Atenção cativa. Reaprenda a amar aquela pessoa que um dia fez bater seu coração mais forte.
Muitas coisas podem ficar esquecidas. Mas o amor, ele mesmo, nunca se esquece!

Letícia Thompson

terça-feira, 3 de novembro de 2015

9 CONDUTORES PARA PÉSSIMAS DECISÕES

E se a pessoa quer tentar mudar de vida, mas tem uma “trava” que a atrapalha a tomar essa decisão? Há tempos escrevi um artigo de ótimo resultado sobre a implicância do "não tentar" no risco de não realizar os próprios sonhos. Mas, de lá para cá, esbarrei nessa questão. Também, há dias, a Pamela nos escreveu também sobre essa dificuldade, parece. O que ela pode fazer?

Será que a Pamela tem o mesmo problema de uma minha amiga, que posterga decisões importantes, sob um ciclo de insegurança permanente, se escondendo atrás de falsas justificativas?

Veja a história dela:


Ela tinha pela frente a chance de ir para um escritório bem melhor, que ela mesma o definiu como “o empregão”. E como foi indicada, bastava apenas enviar o currículo para confirmar o seu interesse.

E há um agravo: há tempos ela desabafa comigo de que o trabalho está muito complicado e que ela tinha vontade de trocar de emprego.

Só que ela não quis enviar o seu currículo para “o empregão”!

Então eu provocava: “por que não envia o currículo?” e ela, após esquivar-se com justificativas pouco convincentes, disse apenas: “sei lá, vou deixar fluir”.

Mas meu Deus, ela não passa nem dois dias sem reclamar do trabalho! Como é que pode? Então, resignado, concluí: “você precisa assumir que possui enorme dificuldade de tomar decisões difíceis e deve sempre relevar essa questão também”.


A partir disso, resolvi reunir aqui os hábitos mais comuns que implicam em decisões ruins. Caso alguém se identifique com algum desses, se policie diante destes nos momentos de risco ou oportunidade.

1 – Preguiça – Algumas pessoas carecem da força de vontade de confirmar fatos, tomar iniciativa, confirmar pressupostos, buscar novas informações. Essas pessoas confiam demais em experiência do passado, esperando, simplesmente, que as coisas aconteçam pela extrapolação dos resultados lá de trás.

2 – Otimismo – Como é pouco encorajador considerar eventos negativos, as pessoas assumem que o pior não vai acontecer.
Se as pessoas apenas considerassem o que mudará em suas vidas se as coisas derem errado, suas decisões já seriam melhores.
Mas elas preferem a excitação das escolhas que estão fazendo e nunca gastam tempo fazendo uma auditoria da decisão.

3 – Indecisos – Por outro lado, quando uma decisão depende de dados que mudam o tempo todo, é cômodo continuar solicitando relatórios ou realizando mais analises.
Aí os estudos tomam muito mais tempo que o esperado e a oportunidade se perde.

Algumas vezes, indecisão é pior que fazer uma escolha ruim. É preciso levar em consideração que pior que tomar uma decisão ruim é tomar uma decisão ruim e que ainda atrase para sair.

4 – Permanecer preso ao sucesso do passado – Algumas pessoas tomam decisões ruins porque estão usando dados antigos ou processos antigos nos quais estão acostumados. Usam abordagens que funcionaram no passado, não buscam conhecer coisas que funcionam melhor atualmente.

5 – Não ter alinhamento estratégico – Decisões ruins algumas vezes derivam da falha em conectar o problema com a estratégia como um todo. Na falta de uma estratégia clara, muitas soluções nem parecem fazer sentido.

Mas quando firmemente preso a uma estratégia clara, as melhores soluções rapidamente começam a emergir.

6 – Dependência – Algumas decisões nunca são tomadas porque uma pessoa está esperando a resposta da outra, que por sua vez está esperando mais alguém, ou alguma decisão, ou algum firme apoio.

Para ser um bom decisor é preciso encontrar um jeito de atuar de forma independente quando necessário.

7 – Isolamento – Falta de uma rede de relacionamento para tomar as melhores decisões. Ou então, não envolvem ninguém porque querem o crédito pelo sucesso, sozinhos.
Por azar, eles também levarão toda a culpa no caso de decisões ruins.
Já não é mais novidade que envolver pessoas de conhecimento relevante e experiência melhora a qualidade da decisão.

8 – Falta aprofundamento técnico – Falta conhecimento e experiência para uma boa decisão.

Os melhores executivos são os que têm a mais profunda experiência. Mas quando eles não a têm, dão um jeito de encontrar alguém especial e com talento no assunto para ajuda-los na decisão.

9 – Falha na comunicação. Algumas boas decisões se tornam decisões ruins porque as pessoas não sabem se comunicar e os outros não as entendem. Comunicar uma decisão, seus objetivos e sua intenção é crítico para o sucesso de um projeto.

Fonte: http://blogs.hbr.org/2014/09/9-habits-that-lead-to-terrible-decisions/

20 REGRAS DE VIDA POR GEORGE IVANOVICH GURDJEFF

20 Regras de vida por George Ivanovich Gurdjieff

George Ivanovich Gurdjieff propôs 20 regras de vida que foram colocadas em destaque no Instituto Francês de Ansiedade e Stress, em Paris.

Dizem os experts em comportamento que quem consegue assimilar 10 delas seguramente aprendeu a viver com qualidade interna.

Ei-las: 
Faça pausas de dez minutos a cada duas horas de trabalho, no máximo. Repita essas pausas na vida diária e pense em você, analisando suas atitudes. 
Aprenda a dizer não sem se sentir culpado ou achar que magoou. Querer agradar a todos é um desgaste enorme. 
Planeje seu dia, sim, mas deixe sempre um bom espaço para o improviso, consciente de que nem tudo depende de você. 
Concentre-se em apenas uma tarefa de cada vez. Por mais ágeis que sejam os seus quadros mentais, você se exaure. 
Esqueça, de uma vez por todas, que você é imprescindível. No trabalho, em casa, no grupo habitual. Por mais que isso lhe desagrade, tudo anda sem a sua atuação, a não ser você mesmo. 
Abra mão de ser o responsável pelo prazer de todos. 
Peça ajuda sempre que necessário, tendo o bom senso de pedir às pessoas certas. 
Diferencie problemas reais de problemas imaginários e elimine estes, que são pura perda de tempo e ocupam um espaço mental precioso para coisas mais importantes. 
Tente descobrir o prazer de fatos cotidianos como dormir, comer e tomar banho, sem também achar que é o máximo a se conseguir na vida. 
Evite se envolver na ansiedade e tensão alheias. Espere um pouco e depois retome o diálogo, a ação. 
Família não é você, está junto de você, compõe o seu mundo, mas não é a sua própria identidade. 
Entenda que princípios e convicções fechadas podem ser um grande peso, a trava do movimento e da busca. 
É preciso ter sempre alguém em que se possa confiar e falar abertamente ao menos num raio de cem quilômetros. Não adianta estar mais longe. 
Saiba a hora certa de sair de cena, de retirar-se do palco, de deixar a roda. Nunca perca o sentido da importância sutil de uma saída discreta. 
Não queira saber se falaram mal de você e nem se atormente com esse lixo mental; escute o que falaram de bem, com reserva analítica, sem qualquer convencimento. 
Competir no lazer, no trabalho, na vida a dois é ótimo… para quem quer ficar esgotado e perder o melhor. 
A rigidez é boa na pedra, não no ser humano. A ele cabe firmeza. 
Uma hora de intenso prazer substitui com folga três horas de sono perdido. O prazer recompõe mais que o sono. Logo, não perca uma oportunidade de divertir-se. 
Não abandone suas três grandes e inabaláveis amigas: a intuição, a inocência e a fé. 
Entenda de uma vez por todas, definitiva e conclusivamente: você é o que fizer de si.

23 FRASES EXCEPCIONAIS PARA RECORDAR DE JIM ROHN

O legendário Jim Rohm é considerado o “poderoso chefão” da indústria da autoajuda. Se você nunca ouviu falar de Jim Rohn, então você precisa pesquisar por ele no YouTube, Google ou comprar seus livros hoje.

Jim foi o mentor do Tony Robbins no seu início de carreira e responsável por transformar mais de milhões de vidas em todo o mundo.

Jim Rohn morreu em 2009, mas seu nome, frases motivacionais e palavras ainda vivem.

Vamos à lista com 23 frases excepcionais de Jim Rohn para recordar.

Curta, compartilhe e prepare-se para ser inspirado.

1) Não se junte à multidão da facilidade; você não irá crescer. Vá para onde a expectativas e demandas para gerar resultados é alta;

2) Aprenda a ser feliz com o que você tem enquanto persegue tudo o que você quer;

3) Lucro é melhor do que salário. Salário paga as contas. Lucro cria riqueza;

4) Se você quer ser um líder que atraí pessoas de qualidade, a chave é você mesmo se tornar uma pessoa de qualidade;

5) Você não pode fazer progresso sem tomar decisões;

6) Educação formal irá te criar uma profissão; ser autodidata irá te criar uma fortuna;

7) Motivação sozinha não será suficiente. Se você tiver um idiota e você o motivar, agora você terá um idiota motivado;

8) Os dias são caros. Quando você gasta um dia, você tem um dia a menos para gastar. Então tenha certeza de que irá gastar cada dia sabiamente;

9) Nenhuma outra pessoa “nos deixa furioso”. Nós nos tornamos furiosos quando perdemos o controle sobre nossas atitudes;

10) Um dois maiores presentes que você pode dar para qualquer pessoa é o presente da nossa atenção;

11) Você é a média das cinco pessoas com que mais passa tempo;

12) Disciplina é a ponte entre as metas e as conquistas;

13) Motivação é o que faz você começar. Hábito é o que mantem seguindo em frente;

14) Não deseje que fosse mais fácil, deseje que você seja melhor. Não deseje menos problemas, deseje mais habilidades. Não deseje por menos desafios, deseje mais sabedoria;

15) O desafio da liderança é ser forte, mas não rude; ser gentil, mas não fraco; ser duro, mas não intimidador; ser grato, mas não relaxado; ser humilde, mas não tímido; ser orgulhoso, mas não arrogante; ter humor, mas sem tolice;

16) Se você realmente quiser fazer alguma coisa, encontrará um caminho. Se não quiser, encontrará uma desculpa;

17) Felicidade não é algo que você adia para o futuro; é algo que você desenha para o presente;

18) Todos nós sofremos uma das duas dores: a dor da disciplina ou a dor do arrependimento;

19) Se você não desejar o risco do incomum, você irá aceitar o ordinário;

20) Se você não criar seu próprio plano de vida, as chances são de que você se encaixará nos planos de outra pessoa. E adivinhe o que eles planejaram para você? Não muita coisa;

21) Ou você controla o dia ou o dia controla você;

22) A pior coisa que você pode fazer é não tentar, saber o que realmente se quer e não persegui-la, passar anos em silêncio sofrendo se perguntando se alguma coisa poderia ter acontecido – sem jamais saber;

23) Sucesso não é nada além de algumas poucas disciplinas, praticadas todos os dias.

TEMPESTADES DA VIDA

Há noites muito escuras em que o vento violento e ruidoso traz a tempestade inclemente. Os trovões e os relâmpagos invadem a madrugada como se fossem durar para sempre. Não há como ignorar os sentimentos que tomam de assalto nossos frágeis corações. O medo e a incerteza tiram nosso sono, e passamos minutos infindáveis, imaginando o pior, temerosos de que o céu possa, de um momento para o outro, cair sobre nossas cabeças. Sem, no entanto, qualquer aviso, o vento vai se acalmando, as gotas de chuva começam a cair com menos violência e o silêncio volta a imperar na noite. Adormecemos sem nos dar conta do final da intempérie, e quando acordamos, com o sol da manhã a nos beijar a fronte, nem sequer nos recordamos das angústias da noite. Os galhos caídos na calçada, a água ainda empoçada na rua, nada, nenhum sinal é suficientemente forte para que nos lembremos do temporal que há poucas horas nos assustava tanto. Assim ainda somos nós, criaturas humanas, presas ao momento presente. Descrentes, a ponto de quase sucumbir diante de qualquer dificuldade, seja uma tempestade ou revés da vida, por acreditar que ela poderia nos aniquilar ou ferir irremediavelmente. Homens de pouca fé, eis o que somos. Há muito tempo fomos conclamados a crer no amor do pai, soberanamente justo e bom, que não permite que nada que não seja necessário e útil nos aconteça. Mesmo assim continuamos ligados à matéria, acreditando que nossa felicidade depende apenas de tesouros que as traças roem e que o tempo deteriora. Permanecemos sofrendo por dificuldades passageiras, como a tempestade da noite, que por mais estragos que possa fazer nos telhados e nos jardins, sempre passa e tem sua indiscutível utilidade. Somos para Deus como crianças que ainda não se deram conta da grandiosidade do mundo e das verdades da vida. Almas aprendizes que se assustam com trovões e relâmpagos que, nas noites escuras da vida, fazem-nos lembrar de nossa pequenez e da nossa impotência diante do todo. Se ainda choramos de medo e não temos coragem bastante para enfrentar as realidades que não nos parecem favoráveis ou agradáveis, é porque em nossa intimidade a mensagem do cristo ainda não se fez certeza. Nossa fé é tão insignificante que ante a menor contrariedade bradamos que Deus nos abandonou, que não há justiça. Trata-se, porém, de uma miopia espiritual, decorrente do nosso desejo constante de ser agraciados com bênçãos que, por ora, ainda não são merecidas. Falta-nos coragem para acreditar que Deus não erra, que esta característica não é dele, mas apenas nossa, caminhantes imperfeitos nesta rota evolutiva. Falta-nos humildade para crer que, quando fazemos a parte que nos cabe na tarefa, tudo acontece na hora correta e de forma adequada. As dores que nos chegam e nos tocam são oportunidades de aprendizado e de mudança para novo estágio de evolução. Assim como a chuva, que embora nos pareça inconveniente e assustadora, em algumas ocasiões, também os problemas são indispensáveis para a purificação e renovação dos seres. Por isso, quando tempestades pesarem fortemente sobre nossas cabeças, saibamos perceber que tudo na vida passa, assim como as chuvas, as dores, os problemas. Tudo é fugaz e momentâneo. Mas tudo, também, tem seu motivo e sua utilidade em nosso desenvolvimento.

(Desconheço autor)

10 MOMENTOS ONDE VOCÊ PRECISA APERTAR O BOTÃO DE PAUSA EM SUA VIDA

Você encontra-se correndo de tarefa para tarefa?

Você diz para si mesmo (e para os outros) que você não tem tempo para concluir as coisas.

Ou talvez, você esteja se cobrando acima de seus limites… operando a 110% por semanas sem fim.

Talvez seja o momento de apertar o “botão de pausa” para que você possa se recompor.
Pausar para a produtividade

Eu estava conversando com uma pessoa recentemente, que estava mostrando exaustão para mim por sua habilidade de se recompor no trabalho. Ele estava muito atrasado e os novos trabalhos estavam empilhando mais rápido do que ele conseguia resolve-los.

Eu sugeri que ele fizesse uma pausa para analisar melhor sua situação.

Ele respondeu “Fazer uma Pausa? Eu não tenho tempo para isso!”

“Algumas vezes você precisa fazer uma pausa para poder mover-se à frente.”

Ironicamente, algumas semanas depois ele me ligou para me dizer que tinha ficado doente por conta da exaustão e teve que tirar uma semana de folga do trabalho.

Se você não pressionar o botão de pausa, algumas vezes a vida irá fazê-lo por você.
Pare para seguir à frente

Isso pode parecer contra-produtivo, mas algumas vezes você precisa parar para poder seguir à frente.

Pausar para se perguntar o que, como e por que você está fazendo as coisas pode ser exatamente o que você precisa para retomar o progresso à frente.

Em outros momentos, talvez você simplesmente precise uma pausa para recarregar e evitar a exaustão. Se isso ocorrer, você irá gastar muito mais tempo se recuperando do fato do que se tivesse feito uma pausa no primeiro momento.

Veja a lista de 10 momentos onde você precisa pressionar o botão de pausa em sua vida:

1) Quando você está atrasado – talvez você precise pisar no freio para voltar a se mover à frente novamente. Se você está sempre trabalhando no trabalho de ontem, você jamais dará ao hoje a atenção que ele realmente merece. Faça uma pausa para se recompor;

2) Quando você está entregando menos do que o seu melhor – se a qualidade do seu trabalho foi comprometida é o momento de parar e avaliar as razões. Geralmente, você sabe do que se trata. Faça uma pausa e recoloque seu desempenho dentro de seus padrões;

3) Quando você precisa de mais tempo – parar quando eu não tenho tempo suficiente? Correndo. Pause. Pare e retome o passo. Se você tem 9 compromissos hoje, talvez você precise pausar e analisar melhor o cenário. Você irá se agradecer por diminuir e ritmo e recalcular;

4) Quando você se percebe fazendo algo que você não deveria – se você se percebe trabalhando no trivial e não concluindo seu trabalho mais importante, você precisa parar e repriorizar. Ou talvez, seu comportamento tenha se tornado auto-destrutivo; (Veja o Item número 5)

5) Quando você precisa de uma pausa – ninguém consegue operar acima de seus limites por muito tempo. Você irá se exaurir se você não fizer uma pausa e se recuperar. Não permita que sua saúde ou comportamento sejam seus itens não feitos;

6) Quando você está correndo – existe muita verdade no velho ditado “apressado come cru”. Se você está indo muito rápido e está cometendo erros, você irá apenas criar mais trabalho. Ou, como diz um de meus autores prediletos, Jeffrey Mayer, “Se você não tem tempo para fazer certo da primeira vez, quando você terá para fazer novamente?”;

7) Quando você não está pronto – este item não pode ser usado para a inação ou procrastinação. Ainda assim, se você sabe que não está pronto, fala uma pausa para se preparar para o seu dia;

8) Quando você precisa tomar uma decisão importante – quando você precisa tomar uma importante decisão em sua vida, faça uma pausa e tome uma decisão consciente. É muito melhor fazer uma pausa e tomar sua decisão do que permitir que a vida faça a escolha para você;

9) Quando você estiver passando por um momento ruim – você só pode se forçar até este ponto. Se você não fizer uma pausa, a vida encontrará uma forma de fazer com que você faça uma. Bem como, tenha respeito pelos outros e não traga seus problemas para o trabalho;

10) Quando está curtindo a vida e os momentos com outras pessoas – você não pode acelerar a diversão. E você não pode forçar a Qualidade do tempo com os seus entes queridos. Você precisa fazer uma pausa e curtir o momento junto. Coloque as outras coisas em pausa quando você passa o tempo com sua família.
Faça uma pausa antes que seja necessário

Quando você se encontra constantemente correndo, tire um momento para fazer uma pausa.

Talvez seja o momento para se recompor, ou reavaliar suas ações.

A vida segue. Todos precisam de um momento de pausa de tempo em tempos.

Então, pressione o botão de pausa e coloque-se novamente nos trilhos.

Pergunta: Para o que você precisa apertar o botão de pausa?

Fonte: internet

5 MOMENTOS EM QUE VOCÊ PRECISA DIZER NÃO PARA VOCÊ MESMO

5 Momentos em que você precisa dizer NÃO para você mesmo.

Muita coisa para fazer é muito estressado?

Talvez, você deva se perguntar primeiramente por que você está tão ocupado.

Quem está sobrecarregando sua lista de tarefa de qualquer jeito?

As probabilidades são… que seja você!

Quando foi a última vez que você disse não para você?
Dizendo não para você mesmo

Quando você se encontra com muita coisa para fazer, você provavelmente tem somente você para culpar.

Falamos muito em dizer não para outras pessoas, mas tão importante quanto é a habilidade de dizer não para si mesmo.

“Antes que você possa dizer não para os outros, você precisa ser capaz de dizer não para si mesmo.”

Para o que você precisa dizer não para si mesmo?

Veja a lista com 5 momentos onde você precisa dizer não para si mesmo:

1) Quando isso não faz sentido – algumas vezes tudo o que é necessário é um pouco de senso comum. Diga não quando a tarefa à mão for contra-produtiva (ou até auto-destrutiva). De um tempo para dar um passo a trás e considerar quando você simplesmente precisa dizer não;

2) Quando você está estressado – muito do estresse que passamos é auto infligido. Você aceita muitas coisas ou concorda com coisas que não deveria. Quando você está cansado ou fazendo coisas erradas é o momento se segurar e dizer não para si mesmo;

3) Quando você está sobrecarregado – você não pode fazer tudo. Quando tem simplesmente muita coisa em sua lista, você precisa ser capaz de dizer não para alguma de suas tarefas;

4) Quando não for prioritário – é fácil fazer as coisas fáceis. Aquelas que realmente não importam. É difícil fazer aquilo que você deveria estar fazendo. Você precisa ser capaz de escolher entre o que você quer fazer e o que você precisa fazer;

5) Quando é a coisa errada a ser feita – jamais se comprometa ou seus valores, mesmo quando você estiver sobre pressão. Não pegue o caminho mais fácil quando ele vai contra aquilo que é certo. Sempre faça a coisa certa mesmo que você tenha que dizer não à sua voz interior.
Quando o NÃO é a resposta certa

Sua voz interior pode estar dizendo que você consegue “fazer tudo isso”.

Entretanto, isso pode ser uma receita para o desastre.

Você não pode fazer tudo, então seja realista.

Algumas vezes você precisa dizer não, mesmo que seja para si mesmo.

Pergunta: Quando foi a última vez que você disse não para si mesmo?

Fonte: Professores do sucesso

SER CHIQUE E:

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.
A verdade é que ninguém é chique por decreto e algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda... elegância é uma delas!
Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.
O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.
Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.
Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.
Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta. É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.
Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. É lembrar-se do aniversário dos amigos.
Chique mesmo é não se exceder jamais: nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.
Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É "desligar o radar", o telefone, quando estiver sentado à mesa do restaurante, prestar verdadeira atenção na sua companhia.
Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.
Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!
Chique do Chique é não se iludir com "trocentas" plásticas do físico... quando se pretende corrigir o caráter: não há plástica que salve grosseria, incompetência, mentira, fraude, agressão, intolerância e falsidade.
Mas, para ser Chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos terminar da mesma maneira, mortos, sem levar nada material deste mundo. 
Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem.
Lembre-se: o diabo parece Chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!
Investir em conhecimento pode nos tornar sábios... mas, Amor e Fé nos tornam humanos!

(Glória Kalil)

APRENDI QUE SE APRENDE ERRANDO

Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouve uma bobagem.

Que trabalhar significa não só ganhar dinheiro.
Que amigos a gente conquista mostrando o que somos.
Que os verdadeiros amigos sempre ficam com você até o fim.
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face.
Que não se espera a felicidade chegar, mas se procura por ela.
Que quando penso saber de tudo ainda não aprendi nada.
Que a Natureza é a coisa mais bela na Vida.
Que amar significa se dar por inteiro.
Que um só dia pode ser mais importante que muitos anos.
Que se pode conversar com estrelas.
Que se pode confessar com a Lua.
Que se pode viajar além do infinito.
Que ouvir uma palavra de carinho faz bem à saúde.
Que dar um carinho também faz…
Que sonhar é preciso.
Que se deve ser criança a vida toda.
Que nosso ser é livre.
Que Deus não proíbe nada em nome do amor.
Que o julgamento alheio não é importante.
Que o que realmente importa é a Paz interior.

“Não podemos viver apenas para nós mesmos.
Mil fibras nos conectam com outras pessoas;
E por essas fibras nossas ações vão como. 
causas e voltam pra nós como efeitos.”

-Autor desconheço