terça-feira, 29 de setembro de 2015

A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA EM NOSSAS VIDAS

Ela simplesmente é uma parte essencial das nossas vidas. Em momentos difíceis, alegres, comuns, importantes, ela sempre está presente. Às vezes não a todo o tempo, mas sempre que necessário pelo menos.
É nela que encontramos o que precisamos para aprender sobre vários aspectos da vida. Muitas decepções, alegrias, surpresas, enganos, mas tudo isso é o que nos faz ser quem somos e se soubermos aproveitar, crescer cada dia mais e mais como pessoa.
Muitas vezes não damos importância a família, uns realmente não ligam, outros acham careta, outros “acham um saco”. Mas também tem aqueles que amam, tentam conviver intensamente, e mesmo diante de tantas dificuldade sabem amar, perdoar e deixar o orgulho de lado em várias situações.
E também há aqueles que por escolha, carma, coisas do destino, não possuem família. Podem ter amigos que considera como uma família, mas no fundo sempre faltará algo mais intenso.
E diante disso nos perguntamos.... Será que valorizamos nossa família como deveria?
Quantas vezes desprezamos nossa família por coisas tão pequena? Quantas vezes pais, filhos, irmãos deixam de se falar por ações ou palavras ditas em momentos que são necessários acontecer.
Se Deus permite que aconteça os momentos de dificuldade, não é para o melhor de todos nós de alguma forma?
Será que isso não será um grande teste para avaliar nosso poder de compreender, respeitar e até perdoar?
Por que não acreditar nisso e levar para dentro de nossas vida esse ato tão sublime do perdão?
Se assim não for, qual o sentido de todas essas situações difíceis? De que valerá essa convivência de anos e essa amor construído?
Felizmente na vida não temos respostas para tudo de ruim que nos acontece, a vida espera que possamos levar dela o melhor, e é isso que precisamos fazer. A convivência em família é um caminho para esse objetivo. É um grande desafio mas que tenho certeza que todos nós podemos alcançá-lo desde que ponhamos de lado o nosso orgulho, vergonha ou medo de falar sobre os nosso sentimentos.
E que apesar de tudo... possamos aproveitar enquanto nossos familiares estão perto de nós. Enquanto ainda podemos dizer que amamos, que eu errei, me perdoa, tudo vai ficar bem...
Amanhã poderemos querer dizer tudo isso e os nossos familiares não estarem mais aqui. E como nós ficaremos? A decisão é toda nossa. Que possamos fazer uma boa escolha para nós mesmos.

(Graziele Machado)